Praticar yoga para melhorar a oxigenação sanguínea

Ao longo dos anos realizam-se inúmeros estudos sobre a prática de yoga e os seus benefícios físicos e mentais no praticante. Este artigo baseia-se numa revisão sistemática sobre a prática de yoga na melhoria da oxigenação sanguínea.

O metabolismo humano é o resultado de processos anabólicos e catabólicos contínuos que mantêm a homeostase e sustentam a vida. As vias metabólicas incluem uma rede complexa de processos nutricionais, neuronais e hormonais que são integrados pelos sistemas nervoso central e autónomo, criando um conjunto de respostas fisiológicas que mantêm o equilíbrio do indivíduo. A medição do consumo de oxigénio pode fornecer informações sobre o equilíbrio homeostático geral, assim como a resposta ao stress, que são geridos através do sistema nervoso autónomo e do hipotálamo.

O consumo de oxigénio atinge o valor máximo durante a atividade física intensa e o mais baixo durante as condições basais ou de repouso, aumentando, naturalmente, com a atividade psicológica e fisiológica, stress e a presença de patologias, podendo estabelecer-se um paralelismo entre um maior consumo de oxigénio com o envelhecimento acelerado, sofrimento psicológico e ansiedade. A evidência científica sugere ainda que o consumo de oxigénio é maior em várias condições patológicas, por exemplo na insuficiência cardíaca congestiva, na deficiência locomotora, no HIV, na doença pulmonar obstrutiva crónica e na insónia. O consumo de oxigénio também aumenta com a síndrome metabólica, um quadro que inclui obesidade, diabetes tipo II e hipertensão.

O yoga é uma prática milenar que estabelece uma relação corpo-mente, através da combinação de várias metodologias. Independentemente do método de yoga que se pratique a base é sempre: prática de posturas (asanas), prática de vários tipos de respiração (pranayama) e meditação (dhyana), na procura de alcançar um elevado estado de harmonia e bem-estar, um estado superior de entendimento (samadhi).

A capacidade do yoga de induzir o relaxamento e aliviar o stress é atualmente aceite e existem vários estudos sobre a prática de yoga e a sua importância como coadjuvante na melhoria da ansiedade, depressão, estados de humor negativos e sintomas de transtorno de stress agudo, crónico ou pós-traumático.

Vários estudos sugerem que a prática regular de yoga reduz a atividade fisiológica e metabólica, em condições de normalidade na vida da pessoa. Em comparação com os não praticantes, os praticantes regulares de yoga demonstraram ter reduzido a frequência cardíaca em repouso, a pressão arterial, a frequência respiratória e a taxa metabólica.

Quanto à oxigenação, uma revisão sistemática sobre o consumo de oxigénio e práticas de yoga concluiram: o consumo de oxigénio e o gasto energético diminuíram com o avanço da idade após a prática de yoga. O quociente respiratório aumentou com a idade e diminuiu após a prática de yoga. Com o avanço da idade há uma mudança progressiva da reação de redução-oxidação, e que pode ser restaurada pela prática de yoga. Assim, a prática regular de yoga pode ter a capacidade de reverter alterações na oxigenação sanguínea induzidas durante o o envelhecimento, com o avançar da idade.

Referências: Tyagi, A., & Cohen, M. (2013). Oxygen consumption changes with yoga practices: a systematic review. Journal of Evidence-Based Complementary & Alternative Medicine18(4), 290-308.; Créditos da imagem:Gerd Altmann por Pixabay

Alexandra Pereira, professora de yoga através da AIPYS-Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda, Espanha 2000. Licenciada em Filosofia (FLUP 1988). Mestrado em Filosofia: “A filosofia do yoga: da prática a uma filosofia de vida” ( FLUP 2019) Exerce a sua actividade profissional de professora de yoga em Vidya-Academia de Yoga do Porto (Desde 2001). Dirigiu e ministrou cursos de Formação: "Curso de Professores de Yoga" (desde 2010 a 2016) e "Curso de Monitor de Yoga para técnico de SPA" (2013). Os seus atuais interesses de investigação, relacionam-se com as doenças autoimunes e cancro, e no contributo que a prática de yoga oferece para melhorar a condição física, mental e psicológica do praticante. Curso de especialização ("Yoga for Cancer Survivors" 2013). Alexandra Pereira, yoga teacher through the AIPYS-Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda, Spain 2000. Specialization course ("Yoga for Cancer Survivors" 2013). Licenciate in Philosophy (FLUP 1988). Master Philosophy: “The Philosophy of Yoga: From Practice to a Philosophy of Life” (FLUP 2019) Professional activity: yoga teacher at Vidya-Academia de Yoga do Porto (since 2001). Direted and teached training Courses: "Yoga Teacher Course" (from 2010 to 2016) and "Yoga Monitor Course for SPA Technician" (2013). My current research, is relate to autoimmune diseases and cancer, and the contribution that the practice of yoga offers to improve physical, mental and psychological well-being in student.