Este ano, não se esqueça de celebrar cada dia!

O ano novo começa com festa e celebração, para muitos de nós, e fazemo-lo já quase sem reflectirmos no porquê. É espontâneo e habitual, por isso não questionamos. Mas a verdade é que celebrar a chegada de um novo ano é celebrar a oportunidade de recomeçar. Um novo ano surge-nos como uma imensa tela em branco onde podemos colocar as imagens do que desejamos para nós, para quem mais gostamos e até para toda a humanidade, para todos os seres e para o nosso planeta.

Este ritual, como a maioria dos rituais que praticamos há anos e às vezes há séculos, têm uma importância que vai para além do aparente, e por isso os cumprimos. Sem nos darmos conta contribuem para que adoptemos uma atitude mental de reconhecimento e gratidão que cumpre uma função essencial para o nosso bem-estar psíquico porque atribui um sentido e um significado a determinados acontecimentos e por conseguinte à nossa existência.

Assim, celebramos o novo ano, celebramos o nascimento, celebramos cada novo ano de vida, celebramos a união e o amor, a chegada da primavera, celebramos a perpetuação da memória dos que partiram e celebramos as vitórias e as etapas superadas. A lista é infindável e poderia ser ainda maior porque na verdade mesmo durante períodos de adversidade, por vezes, há razões para celebrar embora possamos não as perceber de imediato.

Cada novo dia é um motivo de celebração pois é uma nova oportunidade de fazer de novo, de fazer diferente e melhor do que fizemos no dia anterior. Cada novo dia traz mais uma oportunidade de aprender, de perdoar e de libertar o passado. Cada novo dia é mais uma hipótese de esperar que o provir nos traga mais graças e cada novo dia é mais uma oportunidade para agradecer por estarmos vivos.

Por tudo isto devemos de viver e saborear os momentos de celebração e celebrar, por tudo e por nada, sós ou acompanhados por quem amamos ou por quem acompanha a nossa jornada. Pois ao celebrar recordamos tudo o que temos para agradecer, apesar dos infortúnios que a vida nos possa já ter trazido. Afinal, como li algures:

A felicidade consiste em sermos capazes de nos libertarmos daquilo que achamos que a nossa vida, era suposto ser e sermos capazes celebrar por termos a vida que temos.

Fonte da Imagem: http://honestlywtf.com/art/phoebe-wahl/

Rita Rosado nasceu em 1974 no Barreiro apesar de viver actualmente numa aldeia do Concelho de Tomar com a sua família. Licenciou-se em Psicologia Clínica pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa em 1997, é membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses com a cédula profissional nº 007261 e concluiu o Mestrado em Ciências da Educação – Formação de Adultos em 2007, pela mesma Universidade. Fez formação em Psicoterapia durante 2 anos, na Sociedade Portuguesa de Psicologia Clínica e exerceu esta actividade entre 1998 e 2005. Actualmente trabalha na área de Orientação Profissional e concilia esta atividade com a formação amadora na área musical. O seu interesse pela problemática da prevenção do cancro aprofundou-se após a experiência que vivenciou enquanto familiar de doentes de cancro. A sua abordagem perante a prevenção dos estados de doença tem por base uma visão holística dos seres humanos enquanto seres com uma dimensão física, emocional e até espiritual ou existencial com necessidade de cuidados ao nível de todas estas facetas.     Rita Rosado was born in Barreiro in 1974 but now lives in a small village near the city of Tomar (Central Portugal). Rita studied Clinical Psychology at Psychology and Educational Sciences College at Lisbon University and got her degree on 1997. She also got a Master degree in Educational Sciences – Adults Education, at the same College, ended in 2007. Rita had 2 years training in Psychoterapy at Portuguese Clinical Psychology Society and worked as a Psychoterapist between 1998 and 2005. At the moment she works has a Career Counselling and spends also some time learning music. Rita´s interest in cancer prevention grows when she had to face this problem in her family. Her vision about health prevention is: “We should see human beings in their multiple dimensions, physical, emotional and spiritual or existential and realize the need to care for all these dimensions”.