Binauralidade: diferença em ouvir com um ou com os dois ouvidos

A binauralidade é a capacidade de ouvir com os dois ouvidos.
Em condições normais, o som é captado e enviado ao córtex cerebral.

Uma das funções mais importantes do cérebro é combinar e comparar a informação recebida de cada um dos ouvidos, separadamente. Um estímulo sonoro é distinguido de outro pelas suas características de frequência, intensidade e timbre. Assim, se um som é rececionado, por exemplo, do lado direito, atinge primeiro o ouvido direito e com mais intensidade, do que o esquerdo.

A binauralidade envolve a capacidade do sistema auditivo nervoso central somar, analisar e integrar as informações recebidas em cada ouvido. O objetivo é facilitar a compreensão dos diferentes sons. A audição binaural resulta numa sensação de receção equilibrada de sons, também conhecida como efeito estéreo.

Em termos cerebrais e analisando a audição binaural, o processamento auditivo é feito tendo em conta os seguintes parâmetros:
(1) Diferença de tempo interaural (DTI) – diferença de tempo que um som leva para atingir um ouvido, após o outro. Se a fonte sonora está à frente, ou atrás, do ouvinte, DTI = 0. Se esta diferença for superior a cerca de 30 μs é possível perceber a direção do som. Este é um fator importante na localização de sons de frequência inferior a 1,5kHz.
(2) Diferença de intensidade interaural (DII) – o ouvido que está mais perto da fonte sonora, ouve com maior intensidade esse som, que o outro ouvido. As informações dadas pela DII são melhores acima de 500 Hz e o seu efeito cresce com a frequência.
(3) Função de transferência relacionada com a cabeça – a cabeça funciona como uma “sombra” acústica. Os sons precisam de a contornar dando o efeito de localização sonora. Esta diferença interaural é mais significativa para altas frequências.
(4) Processamento do sistema nervoso auditivo central – 2 fenómenos:

  • squelch binaural: é a capacidade de abstração do ruido para uma melhor compreensão da fala, comparando e integrando os diferentes sinais recebidos em cada ouvido. Permite que o cérebro separe a fala, do ruído envolvente, facilitando uma melhor comunicação em ambientes barulhentos
  • redundância binaural: quando ambos os ouvidos recebem sons, cada um envia informações auditivas para o cérebro de forma independente. O cérebro, agindo como o processador central das diferentes informações que chegam de cada ouvido, percebe-as muito melhor do que cada ouvido separadamente. O ouvinte é, assim, capaz de filtrar partes desnecessárias de informações tornando-as redundantes. Não só percebe os sinais sonoros com mais intensidade, mas também é capaz de perceber melhor o discurso.

O efeito da redundância binaural refere-se à melhoria na receção da fala quando o mesmo sinal e ruído são audíveis em ambos os ouvidos.

Resumindo, ouvir com os dois ouvidos permite:
1) Localização dos sons – A perceção da direção do som é feita através das diferenças que detetamos ao nível dos dois ouvidos: diferenças de tempo, de intensidade e de frequência.
2) Ouvir com mais intensidade – Uma das principais vantagens é a soma da sonoridade. Quando um som chega a ambos os ouvidos com a mesma intensidade, ao mesmo tempo, a magnitude da melhoria é de aproximadamente 3dB. Assim, quando os dois ouvidos recebem um estímulo sonoro, a sonoridade resultante é maior do que a que ocorre apenas num ouvido.
3) Melhor perceção da fala no meio do ruído – As conexões neurais que atravessam do ouvido direito para o hemisfério cerebral esquerdo e do ouvido esquerdo para hemisfério cerebral direito, assim como as fibras neurais que conectam os dois hemisférios, permitem uma audição seletiva aprimorada e uma melhor compreensão da fala.
4) Melhor apreciação da música – com os dois ouvidos, a música é percebida de forma estereofónica.
5) Aprendizagem mais facilitada da linguagem nas crianças.

Referência: Avan P, Giraudet F, Büki B (2015) Importance of Binaural Hearing. Audiol Neurotol 20: 3-6 Link: https://bit.ly/3aZqf2e; Créditos de imagem: https://www.lucidmindcenter.com/wp-content/uploads/2016/05/Binaural-Hearing-Lucid-Mind-Center-768×686.jpg

Fernanda Gentil é Audiologista na Clínica ORL Dr. Eurico Almeida e Coordenadora da Widex Centros Auditivos – Porto. Licenciada em matemática aplicada – ramo de ciência de computadores, pela FCUP. Professora Adjunta do curso de Audiologia, na ESS do Porto. PhD em Ciências de Engenharia pela FEUP. Investigadora e orientadora de teses de Mestrado e Doutoramento, na FEUP. Os seus principais interesses relacionam-se com a Audiologia e Reabilitação Auditiva, assim como simulações matemáticas de modelos computacionais do ouvido. Fernanda Gentil is Audiologist at the ORL Clinic Dr. Eurico Almeida and Coordinator of Widex-Porto. Degree in Applied Mathematics - Computer Science, FCUP. Audiology Professor at ESS, Porto. PhD in Engineering Sciences, FEUP. Researcher and advisor of Master's and PhD theses at FEUP. His main interests are related to Audiology and Auditory Rehabilitation, as well as mathematical simulations of computational models of the ear.