Adoptar um estilo de vida saúdavel

Gostou? Partilhe

Binauralidade: diferença em ouvir com um ou com os dois ouvidos

binauralidade

A binauralidade é a capacidade de ouvir com os dois ouvidos.
Em condições normais, o som é captado e enviado ao córtex cerebral.

Uma das funções mais importantes do cérebro é combinar e comparar a informação recebida de cada um dos ouvidos, separadamente. Um estímulo sonoro é distinguido de outro pelas suas características de frequência, intensidade e timbre. Assim, se um som é rececionado, por exemplo, do lado direito, atinge primeiro o ouvido direito e com mais intensidade, do que o esquerdo.

A binauralidade envolve a capacidade do sistema auditivo nervoso central somar, analisar e integrar as informações recebidas em cada ouvido. O objetivo é facilitar a compreensão dos diferentes sons. A audição binaural resulta numa sensação de receção equilibrada de sons, também conhecida como efeito estéreo.

Em termos cerebrais e analisando a audição binaural, o processamento auditivo é feito tendo em conta os seguintes parâmetros:
(1) Diferença de tempo interaural (DTI) – diferença de tempo que um som leva para atingir um ouvido, após o outro. Se a fonte sonora está à frente, ou atrás, do ouvinte, DTI = 0. Se esta diferença for superior a cerca de 30 μs é possível perceber a direção do som. Este é um fator importante na localização de sons de frequência inferior a 1,5kHz.
(2) Diferença de intensidade interaural (DII) – o ouvido que está mais perto da fonte sonora, ouve com maior intensidade esse som, que o outro ouvido. As informações dadas pela DII são melhores acima de 500 Hz e o seu efeito cresce com a frequência.
(3) Função de transferência relacionada com a cabeça – a cabeça funciona como uma “sombra” acústica. Os sons precisam de a contornar dando o efeito de localização sonora. Esta diferença interaural é mais significativa para altas frequências.
(4) Processamento do sistema nervoso auditivo central – 2 fenómenos:

  • squelch binaural: é a capacidade de abstração do ruido para uma melhor compreensão da fala, comparando e integrando os diferentes sinais recebidos em cada ouvido. Permite que o cérebro separe a fala, do ruído envolvente, facilitando uma melhor comunicação em ambientes barulhentos
  • redundância binaural: quando ambos os ouvidos recebem sons, cada um envia informações auditivas para o cérebro de forma independente. O cérebro, agindo como o processador central das diferentes informações que chegam de cada ouvido, percebe-as muito melhor do que cada ouvido separadamente. O ouvinte é, assim, capaz de filtrar partes desnecessárias de informações tornando-as redundantes. Não só percebe os sinais sonoros com mais intensidade, mas também é capaz de perceber melhor o discurso.

O efeito da redundância binaural refere-se à melhoria na receção da fala quando o mesmo sinal e ruído são audíveis em ambos os ouvidos.

Resumindo, ouvir com os dois ouvidos permite:
1) Localização dos sons – A perceção da direção do som é feita através das diferenças que detetamos ao nível dos dois ouvidos: diferenças de tempo, de intensidade e de frequência.
2) Ouvir com mais intensidade – Uma das principais vantagens é a soma da sonoridade. Quando um som chega a ambos os ouvidos com a mesma intensidade, ao mesmo tempo, a magnitude da melhoria é de aproximadamente 3dB. Assim, quando os dois ouvidos recebem um estímulo sonoro, a sonoridade resultante é maior do que a que ocorre apenas num ouvido.
3) Melhor perceção da fala no meio do ruído – As conexões neurais que atravessam do ouvido direito para o hemisfério cerebral esquerdo e do ouvido esquerdo para hemisfério cerebral direito, assim como as fibras neurais que conectam os dois hemisférios, permitem uma audição seletiva aprimorada e uma melhor compreensão da fala.
4) Melhor apreciação da música – com os dois ouvidos, a música é percebida de forma estereofónica.
5) Aprendizagem mais facilitada da linguagem nas crianças.

[fonte]Referência: Avan P, Giraudet F, Büki B (2015) Importance of Binaural Hearing. Audiol Neurotol 20: 3-6 Link: https://bit.ly/3aZqf2e; Créditos de imagem: https://www.lucidmindcenter.com/wp-content/uploads/2016/05/Binaural-Hearing-Lucid-Mind-Center-768×686.jpg [/fonte]

A surdez neurossensorial é uma sequela comum das infeções do grupo TORCH. Há medidas de prevenção e reabilitação precoces a tomar.
Cada um de nós, de forma individual, pode reduzir o risco do cancro do cólon. Prepare-se para começar gradualmente a ser mais ativo!
A síndrome de Cogan é uma doença autoimune rara. A avaliação e o tratamento precoces revelam-se fundamentais no controlo de sintomas.
Cada um de nós, de forma individual, pode reduzir o risco da incidência de cancro do fígado. Tome nota de 3 medidas!