Alimentação e atividade física na sobrevivência do cancro colorretal

Seguir recomendações adequadas de alimentação e atividade física durante e após o tratamento do cancro colorretal está associado a um menor risco de recorrência ou de morte.

Um estudo de coorte reuniu 992 doentes com cancro do cólon no estadio III. Foram seguidos ao longo de 7 anos e  avaliados pelo estilo de vida: alimentação e atividade física. Neste grupo de doentes, cerca de 430 eram mulheres e a média de idade rondou os 60 anos (intervalo de 21 a 85 anos). O estudo concluiu haver benefícios significativos no aumento da sobrevivência. Os doentes que aderiram às recomendações de alimentação e atividade física da American Cancer Society, reduziram o risco de morte em 42 por cento comparativamente com os doentes que não aderiram. Também se observou uma redução absoluta de 9% no risco de mortalidade a 5 anos. O estudo foi publicado na revista americana JAMA Oncology e a autoria pertence a investigadores da Universidade da Califórnia, em São Francisco.

As recomendações atualizadas da American Cancer Society incluem a manutenção de um peso corporal saudável; ser fisicamente ativo, praticando atividade física regular; e seguir uma alimentação diária, rica em legumes, frutas e cereais integrais. Os princípios da alimentação saudável contribuem, ainda, para melhorar a sensibilidade à insulina, na diminuição da inflamação e no aumento dos níveis de vitamina D, biomarcadores associados à sobrevivência do cancro colorretal.

Referência:Van Blarigan, E. L., Fuchs, C. S., Niedzwiecki, D., Zhang, S., Saltz, L. B., Mayer, R. J., … & Atienza, D. (2018). Association of survival with adherence to the American Cancer Society Nutrition and Physical Activity Guidelines for Cancer Survivors after colon cancer diagnosis: the CALGB 89803/Alliance trial. JAMA oncology.

Margarida Vieira, nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição (FCNAUP-1991), mestre em Nutrição Clínica (ISCSEM-2008). Doutorada em Estudos da Criança, na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a cédula profissional nº 0052N. Investigadora na Fundação para a Ciência e Tecnologia (2011-2015). Membro do Centro de Investigação em Estudos da Criança – CIEC. Desenvolve a sua atividade na Investigação e na área da Nutrição Clínica. É autora e coordenadora de projectos de prevenção primária na área da saúde, bem como na organização e dinamização de seminários sobre hábitos alimentares saudáveis, predominantemente em ambiente escolar. Os seus atuais interesses de investigação, são no domínio da promoção e da comunicação para a saúde, na prevenção do cancro e de outras doenças crónicas. Responsável pela conceção e coordenação de campanhas para a prevenção do cancro. Trabalhou no Marketing Farmacêutico e especializou-se em Gestão e Comunicação da Marca (IPAM – 2003). Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal, adotar um estilo de vida saudável. Usa o novo acordo ortográfico. Margarida Vieira, nutritionist, is PhD in Child Studies of the University of Minho. Member collaborator of the Research Centre for Child Studies - CIEC. 
She is author and coordinator of projects for primary prevention in health care as well as in the organization and promotion of workshops on healthy eating habits in the schools. Her current research interests are cancer prevention and other chronic diseases and health communication.
 Responsible for the design and coordination of the awareness of campaigns for the prevention of cancer. Worked in Pharmaceutical Marketing and specializes in Brand Management and Communication. Author and Founder of Stop Cancer Portugal Project.