Cancro gástrico e atividade física: caminhar, correr ou pedalar

A atividade física regular pode dar-lhe proteção contra o cancro gástrico.
O cancro gástrico é o quinto mais comum em Portugal e a quarta maior causa de mortalidade por cancro (9/100.000 pessoas). Este tipo de cancro é mais comum nos homens.

Uma meta-análise publicada na revista British Journal of Sports Medicine avaliou a influência da atividade física e o risco de cancro gástrico. Através de estudos de coortes prospectivos e estudos caso-controle, conclui-se que a atividade física fornece proteção suficiente contra o cancro gástrico, diminuindo o risco em 19%.

Por outro lado, o tabagismo e alguns fatores do estilo de vida enfraquecem essa proteção. A ingestão excessiva de sal na alimentação, o consumo de carnes processadas e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas predispõem ao aumento do risco de cancro gástrico, enquanto que a ingestão adequada de fibras alimentares, de fruta e de vegetais é protetora.

A evidência científica sugere que a atividade física contribui para a prevenção do cancro ao ativar mecanismos que impedem a inflamação crónica, como a regulação positiva dos sistemas de defesa antioxidante e na redução dos níveis de hormonas potencialmente cancerígenas, como o fator de crescimento semelhante à insulina (IGF-I) e a leptina.

O papel protetor da fruta e dos vegetais também tem vindo a ser consistentemente reconhecido na prevenção do cancro. Um estudo prospectivo com 70.000 indivíduos (139 com cancro gástrico) mostrou que a ingestão diária de 2 a 5 porções de fruta/vegetais diminuiu o risco quando comparada com menos de uma porção de dia.

A prevenção primária do cancro gástrico depende sobretudo da erradicação da bactéria Helicobacter pylori, o principal agente oncogénico reconhecido pela Agência Internacional de Pesquisa em Cancro, desde 1994. Estima-se que a infecção por Helicobacter pylori seja responsável por mais de 75% dos cancros gástricos e dos seus subtipos. Portanto, a infeção por Helicobacter pylori é considerada a causa de maior risco para o cancro gástrico. No entanto, é útil lembrar que a inatividade física conjuntamente com todos os outros fatores do estilo de vida modificáveis contribuem para o aumento da incidência do cancro gástrico.

Procure adotar bons hábitos de vida: atividade física regular e hábitos alimentares equilibrados. São  ações de prevenção diárias para evitar o cancro gástrico e outros tipos de cancro.

Referências: Abioye AI, Odesanya MO, Abioye AI, Ibrahim NA. Physical activity and risk of gastric cancer: a meta-analysis of observational studies. Br J Sports Med. 2015;49:224-9.; Rugge, Massimo; Fassan, Matteo; Graham, David Y. Epidemiology of gastric cancer. In: Gastric Cancer. Springer, Cham, 2015. p. 23-34.; http://gco.iarc.fr/today/fact-sheets-populations?population=620&sex=0#collapse1 ; Fotografia de Mārtiņš Zemlickis on Unsplash  

Margarida Vieira, nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição (FCNAUP-1991), mestre em Nutrição Clínica (ISCSEM-2008). Doutorada em Estudos da Criança, na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a cédula profissional nº 0052N. Investigadora na Fundação para a Ciência e Tecnologia (2011-2015). Membro do Centro de Investigação em Estudos da Criança – CIEC. Desenvolve a sua atividade na Investigação e na área da Nutrição Clínica. É autora e coordenadora de projectos de prevenção primária na área da saúde, bem como na organização e dinamização de seminários sobre hábitos alimentares saudáveis, predominantemente em ambiente escolar. Os seus atuais interesses de investigação, são no domínio da promoção e da comunicação para a saúde, na prevenção do cancro e de outras doenças crónicas. Responsável pela conceção e coordenação de campanhas para a prevenção do cancro. Trabalhou no Marketing Farmacêutico e especializou-se em Gestão e Comunicação da Marca (IPAM – 2003). Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal, adotar um estilo de vida saudável. Usa o novo acordo ortográfico. Margarida Vieira, nutritionist, is PhD in Child Studies of the University of Minho. Member collaborator of the Research Centre for Child Studies - CIEC. 
She is author and coordinator of projects for primary prevention in health care as well as in the organization and promotion of workshops on healthy eating habits in the schools. Her current research interests are cancer prevention and other chronic diseases and health communication.
 Responsible for the design and coordination of the awareness of campaigns for the prevention of cancer. Worked in Pharmaceutical Marketing and specializes in Brand Management and Communication. Author and Founder of Stop Cancer Portugal Project.