Objectivo 2011: deixar de fumar!

deixar de fumarNo início de cada ano renovam-se desejos, constroem-se planos e perspectivam-se promessas. Provavelmente, qualquer um de nós conhece alguém que planeou deixar de fumar no início do novo ano.

Há dois anos atrás, a chamada “Lei do Tabaco” – que restringiu e criou regras para os locais permitidos para fumar – foi o incentivo para alguns fumadores deixarem de fumar. Se ainda está indeciso ou sem motivação para deixar de fumar, peço para que continue a ler um pouco mais…

Porventura já ouviu ou leu que o tabaco é um dos responsáveis por infecções respiratórias, AVC (acidente vascular cerebral), cancro do pulmão, cancro da garganta e boca, todos eles potencialmente fatais ou com possibilidade de deixar graves sequelas. Também poderá saber que fumar é uma decisão autónoma de quem o inicia e que a restante população tem direito a não ser fumador passivo. Certamente saberá que fumar causa dependência, algo que uma parte dos fumadores só tem consciência quando tenta parar de fumar.

O que provavelmente poderá não saber é que em 2030 o tabaco será responsável pela morte de 8 biliões de pessoas, destas 1 em cada 4 será uma morte prematura. O tabaco é ainda responsável por sofrimento, quer pela evolução das doenças quer pelo seu tratamento, assim como de perda de capacidade e funcionalidade.

Fumar tem custos económicos para o fumador como para toda a sociedade em geral. O fumador tem menor produtividade, maiores taxas de absentismo e um maior número de acidentes, sendo responsável por incêndios quer no interior ou exterior de edifícios. Fumar aumenta o prémio a pagar pelo seu seguro de vida (seguro quase indispensável, por exemplo, na compra de casa). Vários fumadores afirmam que o fumo do tabaco escurece a tinta das paredes e tectos da casa, aumentando os gastos de conservação da mesma.

Deixar de fumar só traz vantagens principalmente para si! Para o fazer necessita de confiança e do apoio e motivação das pessoas que o rodeiam!

A nicotina causa dependência, e a supressão súbita de nicotina pode conduzir a manifestações menos agradáveis. Para o ajudar e o orientar, vários centros de saúde e hospitais têm uma consulta específica para quem desejar deixar de fumar! O Portal da Saúde disponibiliza uma lista desses centros. Lá encontrará uma equipa preparada para o apoiar e orientar durante todas as fases do tratamento!

Sim, deixar de fumar é tratar de si!

Fonte de Informação: Organização Mundial da Saúde.

Miguel Oliveira, natural de Braga, licenciado em Enfermagem pela Escola Superior de Enfermagem de Calouste Gulbenkian – Universidade do Minho (2007), com passagem por Itália na área oncológica ao abrigo do programa de intercâmbio Europeu ERASMUS. Formador com CAP (2008), Pós-Graduado em Neuropsicologia de Intervenção pelo CRIAP/Associação Portuguesa de Neuropsicologia (2010). Colaborou no IEFP como formador. Iniciou a atividade de enfermagem em 2008 num hospital oncológico em Portugal, atualmente exerce a profissão no Reino Unido. Colaborou em vários projetos relacionados com a prevenção primária e apoio a doentes com cancro colo-rectal e seus familiares (Europacolon Portugal). Membro ativo na Associação de Enfermagem Oncológica Portuguesa, atualmente colaborador no Workgroup Dor. Por indicação do autor, os seus textos não obedecem ao novo acordo ortográfico.     Miguel Oliveira, born in Braga, Portugal, completed the Nursing License Degree at Calouste Gulbenkian Superior Nursing School, University of Minho (2007), with oncology experience in Italy under the European student exchange program ERASMUS. Former certified by IEFP (2008), completed the Post-Graduate Degree in Neuropsychology Intervention at CRIAP/ Portuguese Society of Neuropsychology (2010). Collaborated with IEFP as a former. Started as a Nurse Staff in 2008 in a cancer hospital in Portugal, at the moment is a Registered Nurse working in the UK. Collaborated in several projects dedicated to cancer primary prevention and support to colorectal cancer patients and its family (Europacolon Portugal). Active member of the Portuguese Association of Oncology Nursing, at the moment collaborates with the Pain Workgroup.