Sistema Auditivo periférico: aspetos da sua anatomia e fisiologia

O ouvido humano é o órgão que nos permite perceber sons, numa gama de frequências que variam entre 16 Hz e 20 kHz e intensidades entre 0 dB e 130 dB. O sistema auditivo divide-se em sistema auditivo periférico, composto pelo ouvido externo, médio e interno e sistema auditivo central, formado pelo nervo auditivo e pelo córtex auditivo.

O ouvido externo é constituído pelo pavilhão auricular e pelo canal auditivo externo. A pele do canal contém glândulas sebáceas e glândulas ceruminosas, que produzem cerúmen, para proteção do seu epitélio.

A energia sonora é captada pelo pavilhão auricular, conduzida pelo canal auditivo externo até à membrana timpânica, onde é transformada em energia mecânica, que por sua vez, é comunicada aos ossículos do ouvido médio.

O ouvido médio é uma cavidade, que engloba a cadeia ossicular (martelo, bigorna e estribo), seis ligamentos (que ligam os ossículos às paredes da cavidade), dois músculos (o tensor do tímpano, que se insere no martelo, e o estapediano ligado ao estribo), respetivos tendões e uma porção do nervo facial. Esta cavidade está limitada por seis paredes:

1) A parede externa, onde se insere a membrana timpânica, separa o ouvido externo do ouvido médio. Esta membrana tem uma área aproximada de 85 mm2.

2) A parede interna separa o ouvido médio do ouvido interno. Nela está inserida a janela oval.

3) A parede superior separa o ouvido médio da cavidade craniana.

4) A parede inferior forma a base da cavidade, abaixo da qual se encontram a fossa jugular e o golfo da veia jugular.

5) A parede posterior, é formada por cavidades mastóideas, que funcionam como reservatórios de ar, permitindo a sua circulação dentro do ouvido medio.

6) A parede anterior comunica com a rinofaringe pela trompa de Eustáquio. Esta tem três funções principais: a proteção do ouvido médio de agressões bacterianas e sua ventilação e drenagem.

Devido à anatomia dos ossículos, estes têm uma função de amplificação do som. A vibração provocada pelo martelo e bigorna fazem mover o estribo (osso mais pequeno do corpo humano). Esta informação é comunicada, através da janela oval, ao ouvido interno.

O ouvido interno é constituído por uma zona anterior, constituída pela cóclea, responsável pela audição e uma zona posterior, formada pelo vestíbulo e três canais semicirculares, responsáveis pelo equilíbrio.

As diferentes frequências do som são detetadas ao longo da cóclea, sendo que as frequências mais agudas estão mais perto da janela oval e as mais graves são detetadas no seu ápice.

O interior da cóclea está dividido em três secções: rampa vestibular, rampa timpânica e rampa média.

A vestibular, recebe as vibrações da base do estribo e é preenchida por perilinfa.

A timpânica, também preenchida por perilinfa, é conectada com a rampa vestibular pelo helicotrema (localizado no ápice da cóclea) e termina na janela redonda.

A média (ou canal coclear) está entre a rampa vestibular e a rampa timpânica e está preenchida por endolinfa. Esta rampa tem duas fronteiras: membrana de Reissner que separa a rampa vestibular da rampa média e a membrana basilar que separa a rampa média da rampa timpânica. A parte mais importante da cóclea é o órgão de Corti (órgão da audição), assente na membrana basilar, formado por células ciliadas internas, externas e de suporte. No seu percurso, a deslocação da perilinfa faz vibrar a membrana basilar e as células sensoriais do órgão de Corti, transmitindo esta informação às fibras do nervo coclear em forma de impulsos elétricos.  Este órgão tem duas funções: converter a energia mecânica em energia eletroquímica e enviar ao cérebro estes sinais codificados contendo todas as informações sobre o som em causa (frequência, intensidade e timbre).

Referência: Gentil, F. Estudo biomecânico do ouvido médio. Capitulo 2 – Anatomia  e fisiologia do ouvido, 2008, Tese de Doutoramento, FEUP.; Créditos de imagem: http://blogs.nature.com/spoonful/2012/07/gene-therapy-to-restore-hearing-sounds-closer-to-reality-after-success-in-deaf-born-mice.html

Fernanda Gentil é Audiologista na Clínica ORL Dr. Eurico Almeida e Coordenadora da Widex Centros Auditivos – Porto. Licenciada em matemática aplicada – ramo de ciência de computadores, pela FCUP. Professora Adjunta do curso de Audiologia, na ESS do Porto. PhD em Ciências de Engenharia pel (...)