A diarreia como possível consequência da quimioterapia e da radioterapia: como ultrapassar?

home-diarreiaComo temos visto, os tratamentos oncológicos podem originar vários efeitos secundários. A diarreia é um deles, sendo considerada mais do que três dejeções diárias de fezes semilíquidas ou mesmo líquidas, atingindo cerca de 75% dos doentes sujeitos a quimioterapia ou radioterapia.

Nos doentes em quimioterapia, o aparecimento da diarreia vai depender do químico administrado e da dose e da frequência de administração. No que diz respeito à radioterapia, vai depender de uma série de fatores, entre eles, a região sujeita à radiação, os tecidos/órgãos incluídos nessa área, a dose total da radiação a administrar, o fracionamento da dose total, o nível de energia da radiação e a suscetibilidade individual, a qual depende da idade e do estado geral de saúde. No caso dos doentes com cancros ginecológicos, urogenitais e retais sujeitos a radioterapia pélvica, mais de 70% desenvolvem sintomas gastrintestinais agudos durante o tratamento, dentre eles, a diarreia. Todavia, em 6-78% destes doentes, este sintoma poderá ser crónico, afetando muito a qualidade de vida mesmo após o tratamento.

Como fazer face à diarreia

Se não for controlada, a diarreia pode levar à perda de líquidos e sais minerais e, nos casos mais graves, à desidratação, já para não falar no prejuízo na qualidade de vida dos doentes. Assim, há certas medidas para o controlo desta situação:

  • Tomar a medicação para controlo da diarreia prescrita pelo médico
  • Reforçar os cuidados de higiene e cuidados locais (se existir irritação)
  • Reforçar a ingestão de líquidos (2 a 3 litros por dia):
    • Preferir a água (pode variar com tisanas de camomila, cidreira, tília, hortelã, etc.)
    • Beber sumo de fruta cozida (maçã ou pêra), sumos de cenoura ou banana, águas minerais sódicas pouco gaseificadas (ricas em potássio e sódio, os quais são perdidos com a diarreia)
    • Rejeite o café, o chá preto, os refrigerantes com gás e as bebidas alcoólicas
    • A gelatina é outra forma de hidratação
    • Evitar o leite ou tomar leite sem lactose (disponível em farmácias e nos supermercados). Normalmente, o iogurte é bem tolerado
    • Optar por alimentos com baixo teor de fibras (arroz, massas, pão de trigo, batatas, caldos e purés de cenoura)
    • Evitar alimentos ricos em fibras (brócolos, milho, couves, ervilhas, etc) e alimentos que provoquem gases (feijões, cebola, etc)
    • Quanto à fruta, optar por bananas e fruta em calda. Outra fruta deve ser cozida, sem açúcar e sem casca, rejeitando as frutas e os vegetais crus
    • Optar por refeições pobres em gordura e pouco condimentadas (galinha ou perú cozido, sem pele ou em caldo, peixe cozido, etc). A sopa deverá ser preparada apenas com arroz, cenoura e batata.

Como sugestão, o doente com diarreia poderá ingerir o preparado composto pelos seguintes ingredientes, auxiliando na rehidratação e compensação dos minerais perdidos:

  • 1 litro de água
  • 2 chávenas de sumo concentrado (de acordo com a preferência)
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio

[fonte]Gami B, Harrington K, Blake P, Dearnaley D, Tait D, Davies J, et al. How patients manage gastrointestinal symptoms after pelvic radiotherapy. Aliment Pharmacol Ther. 2003; 18: 987–994.
Holmes S. Radiotherapy. 1st Edition. London: The Lisa Sainsbury Foundation, 1988.
Instituto Português de Oncologia Francisco Gentil do Porto. Quimioterapia: Guia de Orientação. IPO – Porto. 2012.[/fonte]

Dina Raquel João

Dina Raquel João, nutricionista, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº0204N, mestre em  nutrição  clínica  pela  Universidade  do  Porto  e  doutoranda  da  Faculdade  de  Medicina  da Universidade de Lisboa. Iniciou a sua atividade profissional em 2001 e, atualmente, a (...)