Alho-francês, o melhor é português!

O alho-francês é uma planta que apresenta um caule e dá origem a um sistema de folhas verdes escuras. É um hortícola de estação fresca, com alguma tolerância à geada.

Anote as condições para a cultura do alho francês:

  • Opte por solos frescos com uma boa drenagem (óptima filtração de água e luz)
  • Terra rica em matéria orgânica (aplicar 30 a 60 gramas de azoto, fósforo, potássio por metro quadrado ou 3 gramas em cada vaso)
  • As temperaturas favoráveis ao seu desenvolvimento variam entre os 13 e os 24ºC

O alho-francês pode ser instalado por transplantação e por sementeira direta. Para ser mais acessível e rápido aplique a transplantação do seguinte modo:

  1. A terra deve ser mobilizada com o ancinho e fertilizada quinze dias antes da transplantação;
  2. Coloque os bolbos de alho-francês pouco desenvolvidos no local definitivo a uma profundidade de 10 a 15 cm;
  3. Deixe um espaçamento de 20 cm de distância de um bolbo para o outro, obtendo assim dois alhos-franceses por vaso, o que num metro quadrado irá obter quatro alhos-franceses;
  4. Tape com a terra retirada anteriormente, mas não calque muito para o bom desenvolvimento da cultura;
  5. Regue diariamente os hortícolas com 300 ml de água com o auxílio do regador, por vaso/metro quadrado;
  6. Arranque as ervas daninhas quando observar que estas têm um diâmetro de um lápis;

A duração do ciclo cultural por transplantação é de cerca de 3 a 4 meses. Assim, ao iniciar o cultivo do alho-francês neste mês de Março vai obter este hortícola pronto para comer por volta de Junho/Julho.

Após a colheita o armazenamento pode ser efetuado a cerca de 5ºC durante 1 a 3 semanas ou durante 2 a 3 meses a 0ºC. Mas melhor mesmo, é consumir este legume o mais fresco possível para que beneficie do seu potencial em vitaminas, minerais e fitoquímicos. A intensidade da cor verde da base das folhas e a firmeza do caule são bons indicadores de frescura.

Faça um 2 em 1, mostre aos pequenos como cresce o alho-francês em casa e convide-os a preparar sopas e outros pratos fáceis e tão saborosos que beneficiam a saúde de todos pela sua composição nutricional. O ponto de partida é convidar os mais pequenos a pôr as mãos na terra, ensiná-los a regar os vasos e acompanhar o crescimento deste hortícola. E no final, o alho-francês vai acabar num prato português!

Referências: Alberto Gardé, Nydia Gardé. Culturas Hortícolas Nova Colecção Técnica Agrária. Vol. I. Lisboa: Clássica Editora, 1988.; Almeida, Domingos. Manual de Culturas Hortícolas. Vol. II. Lisboa: Editoral Presença, 2006.; Thorez, Jean-Paul. Guia de Agricultura Biológica Hortas e Pomares. Mem Martins: Livros de Vida Editores, 1997.

Catarina Santos

Catarina Santos, natural de Alpedrinha (Fundão), licenciada em Nutrição Humana e Qualidade Alimentar (ESACB-2012), atualmente, frequenta a licenciatura de Dietética na Escola Superior de Saúde de Leiria. Interessa-se pela área das Tecnologias de Produção Animal e Vegetal e pela Nutrição ma (...)