Mantenha a cintura para menos de metade da sua altura!

Mantenha o perímetro da cintura para menos de metade da sua altura!

É um conselho simples, que conduz a uma avaliação fácil, e que pode traduzir-se na prevenção de alguns tipos de cancro e de outros riscos para a saúde. A diabetes, a hipertensão, o acidente vascular cerebral, a dislipidemia e a doença cardiovascular estão associadas ao excesso de gordura abdominal.

Para medir o perímetro da cintura, tudo o que precisa é de uma fita métrica.
E deve seguir alguns passos:

  1. coloque a fita em torno da cintura, ao nível do umbigoMedir a cintura
  2. certifique-se de que está nivelada horizontalmente. Verifique na parte dorsal, não muito apertada e não prenda a respiração durante a medição
  3. Expire, verifique o valor na fita métrica e registe.

Após medição, calcule a razão cintura/estatura (o valor que registou divide pela altura) para avaliar a distribuição central da gordura. O valor limite aceitável deve ser inferior a 0,5.

O perímetro da cintura, só por si, avalia o excesso de gordura na zona abdominal. Um perímetro da cintura superior a 88 cm nas mulheres e 102 cm nos homens, representa um risco muito alto de desenvolver doença cardíaca e diabetes. Com valores superiores a estes aconselha-se a tomar medidas para solucionar o excesso de peso. Independentemente de ter um Índice de Massa Corporal (IMC) saudável, o excesso de gordura abdominal é um indicador de risco.

O IMC é o método mais usado para determinar o excesso de peso e obesidade, mas não fornece informação precisa sobre a distribuição da gordura corporal.

A distribuição da gordura abdominal relaciona-se com o prognóstico de risco para a saúde. A obesidade central está fortemente associada às doenças cardiovasculares, comparativamente com a obesidade geral.
Concomitantemente, na ausência de excesso de gordura corporal, o risco da maioria dos cancros está substancialmente reduzido. Há evidências suficientes que concluem que, com o aumento de peso, há um risco aumentado de desenvolver certos tipos de cancro.

Perimetro da cintura e a prevenção do cancro

A prevenção do cancro do colo-retal, do adenocarcinoma do esófago, carcinoma do rim, da mama (pós-menopausa) e útero passa, também, por evitar o ganho de peso e o excesso de gordura corporal, reduzindo o risco.

Alguns mecanismos celulares e moleculares alterados durante a carcinogénese estão ligados à obesidade. Entre elas estão as alterações metabólicas e endócrinas, incluindo as alterações no metabolismo hormonal das glândulas sexuais, da insulina e da sinalização do fator de crescimento da insulina (IGF), das adipocinas ou das vias inflamatórias.
Perder peso afeta positivamente estes mecanismos. Os efeitos benéficos parecem ser regulados através do equilíbrio entre a proliferação celular e a apoptose, processos determinantes e já conhecidos durante a carcinogénese.

Para melhor saúde, a cintura deve ser menos de metade da sua altura.
Se registar valores superiores, fale com o seu médico de família e marque uma consulta de nutrição com um profissional devidamente habilitado para o ajudar a perder peso – um nutricionista.

Através de um programa nutricional acompanhado e orientado para solucionar o excesso de peso, os objectivos propostos na consulta, quando acompanhados de esforços reais, são alcançados.

Referências:Ashwell, M., & Gibson, S. (2014). A proposal for a primary screening tool:Keep your waist circumference to less than half your height’. BMC medicine12(1), 207.;Lauby-Secretan, B., Scoccianti, C., Loomis, D., Grosse, Y., Bianchini, F., & Straif, K. (2016). Body fatness and cancer—viewpoint of the IARC Working Group. New England Journal of Medicine375(8), 794-798.; Creative Commons, Uploaded by: Wikiphoto 

Margarida Vieira, nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição (FCNAUP-1991), mestre em Nutrição Clínica (ISCSEM-2008). Doutorada em Estudos da Criança, na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a cédula profissional nº 0052N. Investigadora na Fundação para a Ciência e Tecnologia (2011-2015). Membro do Centro de Investigação em Estudos da Criança – CIEC. Desenvolve a sua atividade na Investigação e na área da Nutrição Clínica. É autora e coordenadora de projectos de prevenção primária na área da saúde, bem como na organização e dinamização de seminários sobre hábitos alimentares saudáveis, predominantemente em ambiente escolar. Os seus atuais interesses de investigação, são no domínio da promoção e da comunicação para a saúde, na prevenção do cancro e de outras doenças crónicas. Responsável pela conceção e coordenação de campanhas para a prevenção do cancro. Trabalhou no Marketing Farmacêutico e especializou-se em Gestão e Comunicação da Marca (IPAM – 2003). Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal, adotar um estilo de vida saudável. Usa o novo acordo ortográfico. Margarida Vieira, nutritionist, is PhD in Child Studies of the University of Minho. Member collaborator of the Research Centre for Child Studies - CIEC. 
She is author and coordinator of projects for primary prevention in health care as well as in the organization and promotion of workshops on healthy eating habits in the schools. Her current research interests are cancer prevention and other chronic diseases and health communication.
 Responsible for the design and coordination of the awareness of campaigns for the prevention of cancer. Worked in Pharmaceutical Marketing and specializes in Brand Management and Communication. Author and Founder of Stop Cancer Portugal Project.