O Sorafenib e a terapia dirigida

 O Sorafenib tem revolucionado o tratamento do carcinoma hepatocelular, particularmente no caso da doença em estadio avançado. De facto, tendo em conta a baixa eficácia da quimioterapia sistémica de amplo espectro em vários tipos de cancro, incluindo no carcinoma hepatocelular, os investigadores têm procurado descobrir novas e eficazes terapias dirigidas a alvos moleculares que se encontrem envolvidos em vias de sinalização desreguladas. Assim, ao contrário da quimioterapia sistémica que atua indiscriminadamente sobre todas as células do corpo humano, a terapia dirigida pretende atuar exclusivamente sobre moléculas alvo, essenciais ao processo de carcinogénese. Desta forma, pretende-se aumentar a resposta terapêutica e diminuir a toxicidade nos tecidos que não sejam alvo de tratamento.

A descoberta do Sorafenib

O Sorafenib, descoberto em 1990 e aprovado 17 anos mais tarde, foi o primeiro inibidor oral multicinase a ser comercializado. Apesar da vasta literatura atualmente existente, os mecanismos moleculares através dos quais o Sorafenib exerce a sua ação anti-tumoral não são ainda totalmente conhecidos. Sabe-se que este fármaco inibe a atividade de diversas tirosinas-cinases envolvidas na angiogénese (formação de novos vasos sanguíneos) e na progressão tumoral. O Sorafenib pode também estar na origem da diminuição da resistência a alguns fármacos e da indução da morte celular. Pensa-se também que o Sorafenib possa ser responsável por sensibilizar as células tumorais, tornando-as mais suscetíveis aos efeitos da radioterapia e da quimioterapia, implicando tal facto a redução das doses ou concentrações utilizadas e, consequentemente, dos efeitos secundários induzidos no doente. Estudos apontam também para o facto do Sorafenib atuar não apenas no próprio tumor, mas também na sua microvascularização, sendo por isso considerado um inibidor multicinase de dupla ação.

A utilização combinada do Sorafenib

Até agora o Sorafenib tem sido utilizado na prática clínica em doentes com carcinoma hepatocelular em estadio avançado. Através da utilização deste fármaco, tem-se verificado um aumento da sobrevida global dos doentes, ainda que por vezes associada a morbilidade.

Vale a pena referir que a utilização combinada de várias estratégias terapêuticas tem até agora ditado os resultados mais encorajadores na terapia anti-cancro, uma vez que o Sorafenib possui características que o tornam um fármaco com bastante potencial para a utilização no contexto de terapias combinadas.

De notar ainda que, para além do Sorafenib, existem outras moléculas para terapia dirigida a alvos moleculares no carcinoma hepatocelular e em outros tipos de cancro sob intensa investigação.

Referências: Cervello, M, D Bachvarov, N Lampiasi, A Cusimano, A Azzolina, JA McCubrey, and G Montalto. “Molecular Mechanisms of Sorafenib Action in Liver Cancer Cells.” Cell Cycle 11, no.15 (2012): 2843–2855.; Furuse, J. “Sorafenib for the Treatment of Unresectable Hepatocellular Carcinoma.” Biologics: Targets & Therapy 2, no. 4 (2008): 779–788.; Liu, L, Y Cao, C Chen, X Zhang, A McNabola, D Wilkie, S Wilhelm, M Lynch, and C Carter. “Sorafenib Blocks the RAF/MEK/ERK Pathway, Inhibits Tumor Angiogenesis, and Induces Tumor Cell Apoptosis in Hepatocellular Carcinoma Model PLC/PRF/5.” Cancer Research 66, no. 24 (2006): 11851–11858.; Brito, AF, AM Abrantes, JG Tralhão and MF Botelho. “Targeting hepatocellular carcinoma: what did we discover so far?.” Oncology Reviews 10 no. 2 (2016): 302.

Ana Catarina Mamede, natural de Peniche, é Doutorada em Biomedicina pela Universidade da Beira Interior. É membro da equipa de investigação da Unidade de Biofísica e do Centro de Investigação em Meio Ambiente, Genética e Oncobiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. Autora de vários artigos científicos, livros e apresentações. Os seus atuais interesses de investigação são no domínio da comunicação de ciência, particularmente na área da saúde. Fundadora e CEO da Research Trial (www.research-trial.com), uma agência de Comunicação de Ciência. Usa o novo acordo ortográfico. Ana Catarina Mamede, from Peniche, completed the PhD in Biomedicine at the University of Beira Interior. She is member of the research team of the Biophysics Unit and the Center of Investigation in Environment, Genetics and Oncobiology of the Faculty of Medicine of the University of Coimbra. Author of several scientific articles, books and presentations. Her current research interests are in the field of science communication, particularly in health. Founder and CEO of Research Trial (www.research-trial.com), a Science Communication agency.