Algumas definições do Yoga

Existem muitas definições do yoga. Estas definições são retiradas de livros que fazem parte da tradição para o conhecimento do yoga. Entre esses livros, destacamos:

  • Upanishads: Conhecem-se mais de 200 upanishads. O primeiro data do século VI a.C. Upanishad, significa literalmente “sentar-se próximo de”, ou seja, o aluno sentava-se perto do guru (mestre) para receber o conhecimento.
  • Yoga Sutras: obra constituída por quatro livros, atribuindo-se a compilação desta obra sobre o yoga, a Patanjali, um sábio Hindu.
  • Bhagavad Gita: livro com cerca de 700 versos e que é um excerto do Mahabharata, um dos grandes poemas épicos da civilização Hindu. Não se consegue determinar com exatidão a data de aparecimento desta obra.
  • Yoga-Yagnavalkya: constituído por 12 capítulos com 504 versos. É atribuído ao sábio Yajnavalkya, num diálogo entre Yajnavalkya e a sua esposa Gargi. O método de yoga descrito no Yoga-Yajnavalkya, mostra-se abrangente e universal, já que se trata do primeiro texto em que um homem ensina uma mulher a praticar yoga.
  • Hatha Yoga Pradipika: escrito na metade do século XIV por Svatmarama, é um manual para a prática de yoga. Composto por 309 sutras ou aforismos. «Yoga é a cessação das modificações da mente», Yoga Sutras

De acordo com estes livros, o yoga é definido como a restrição ou inibição das flutuações da consciência, ou da mente – «Yoga é a habilidade na ação», Bhagavad Gita

O yoga é aquietar a mente, é equilíbrio e estabilidade da mente, é romper a união com a dor – «Yoga é a cessação do sofrimento», Bhagavad Gita

Quando dominamos a mente, o sofrimento desaparece – «Yoga é equanimidade», Bhagavad Gita

Ao controlar os nossos sentidos, não deixando que eles dominem a nossa forma de estar na vida, terminamos com a dor e com o sofrimento – «A isso eles consideram que é o Yoga: o firme controlo dos sentidos», Katha-Upanisad

«O yogui (o praticante de yoga) é aquele que tem uma mente equilibrada no prazer e na dor, no louvor e na censura, na vitória e na derrota», Bhagavad Gita

«O Yogui deve praticar Hatha Yoga em uma pequena sala, situada em um lugar deserto, livre de pedras, fogo, água, distúrbios de todos os tipos, e em um país onde a justiça é administrada adequadamente, onde pessoas de bem viver e alimentos pode ser obtido facilmente e abundantemente.» E ainda «Estando sentado na tal sala e livre de todas as ansiedades, ele deve praticar Yoga, conforme indicado pelo seu guru». Hatha Yoga Pradipika

Referências:  Bhagavad Gita, Upanishads, Yoga Sutras. “El libro del Yoga” Swami Visnhu Devananda.

Alexandra Pereira, professora de yoga através da AIPYS-Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda, Espanha 2000. Licenciada em Filosofia (FLUP 1988). Mestrado em Filosofia: “A filosofia do yoga: da prática a uma filosofia de vida” ( FLUP 2019) Exerce a sua actividade profissional de professora de yoga em Vidya-Academia de Yoga do Porto (Desde 2001). Dirigiu e ministrou cursos de Formação: "Curso de Professores de Yoga" (desde 2010 a 2016) e "Curso de Monitor de Yoga para técnico de SPA" (2013). Os seus atuais interesses de investigação, relacionam-se com as doenças autoimunes e cancro, e no contributo que a prática de yoga oferece para melhorar a condição física, mental e psicológica do praticante. Curso de especialização ("Yoga for Cancer Survivors" 2013). Alexandra Pereira, yoga teacher through the AIPYS-Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda, Spain 2000. Specialization course ("Yoga for Cancer Survivors" 2013). Licenciate in Philosophy (FLUP 1988). Master Philosophy: “The Philosophy of Yoga: From Practice to a Philosophy of Life” (FLUP 2019) Professional activity: yoga teacher at Vidya-Academia de Yoga do Porto (since 2001). Direted and teached training Courses: "Yoga Teacher Course" (from 2010 to 2016) and "Yoga Monitor Course for SPA Technician" (2013). My current research, is relate to autoimmune diseases and cancer, and the contribution that the practice of yoga offers to improve physical, mental and psychological well-being in student.