Seja curioso, sinais de alerta do cancro

medicard1O cancro continua a ser a segunda causa de morte em Portugal e nos países desenvolvidos, atingindo muitas famílias.

As melhores estratégias disponíveis de luta contra o cancro são sem dúvida a prevenção, o rastreio e a deteção precoce.

Distinguem-se muitas instituições de saúde no mundo, que têm como um dos seus objetivos contribuir para a redução da taxa de morbilidade e mortalidade causada por esta doença. O alcance deste objetivo passa por programas de cessação tabágica, alterações de dieta, promoção do exercício físico e deteção precoce através de programas de rastreio. No entanto, não nos podemos esquecer que a eliminação dos riscos ambientais e ocupacionais, nomeadamente a poluição do ar, da água e do solo é também um grande contributo.

Mas, para além do conjunto de estratégias delineadas por algumas associações e instituições governamentais ou privadas, cabe a todos os cidadãos contribuir de forma simples e gratuita para a deteção precoce e consequentemente para a promoção da sua saúde. O Slogan poderá ser “Seja curioso”.

Fique alerta para um conjunto de sinais que pode permitir a deteção precoce desta doença. Se detetada precocemente a probabilidade de cura é muito maior e o sofrimento menor.

Assim devem estar atentos a:

  1. Modificação de cor, dimensão ou ulceração de uma verruga ou sinal;
  2. Alteração de hábitos intestinais ou urinários;
  3. Rouquidão ou tosse persistente;
  4. Dificuldade em engolir ou má digestão permanente;
  5. Ferida que não cicatriza;
  6. Hemorragia ou corrimento pelos orifícios naturais;
  7. Nódulo ou dureza persistente na mama ou noutra parte do corpo.

Se for detetada uma destas alterações sem motivo aparente não se assuste, mas também não hesite, consulte o seu médico.

Fonte de Informação: Phipps; Long; Woods & Cassmeyer. (2009). Enfermagem Médico-cirurgica. Conceitos e prática clínica. Lusodidacta. 8ª edição.; Redman, K. (2003). A Prática da Educação para a Saúde. Lusociência. 9ª edição.

Ana Paula Figueiredo, natural da Trofa é Licenciada em Enfermagem e Especialista em Saúde Mental e Psiquiatria pela Escola Superior de Enfermagem do Porto. Mestre em Educação, área de especialização em Educação para a Saúde pela Universidade do Minho. Actualmente exerce a sua actividade profissional na área da oncologia, no Porto. É Coordenadora do workgroup de Educação para a Saúde da Associação de Enfermagem Oncológica Portuguesa. Co-autora do projecto “Com um conto acrescento um ponto à minha saúde” e do Concurso “Com uma história conquisto uma vitória” é também autora de vários artigos científicos na área da oncologia e de histórias infantis na área da educação para a saúde. Colaboradora do Stop Cancer Portugal. Ana Paula Figueiredo, born in Trofa, holds a Bachelor of Science in Nursing with a specialization in Mental Health and Psychiatry awarded by the Porto School of Nursing. Master in Education, specialty subject of Health Education awarded by the University of Minho. Currently undertakes professional practice in the area of Oncology in Porto. Coordinates the Health Education workgroup of the Portuguese Oncologic Nursing Association. Coauthor of the project “With a tale I’ll add a dot to my health” and the competition “With a story I’ll conquer a victory”, she has also authored several scientific articles on the subject of oncology as well as children’s stories on the subject of health education. Collaborates in the project Stop Cancer Portugal.