O sol já espreita…

O Sol tem vindo a fazer algumas visitas desde o início deste mês de Abril. Já foi possível, para alguns, fazer praia e praticar actividades lúdicas à beira mar.

A exposição à radiação ultravioleta (UV) é um dos principais factores de risco para o desenvolvimento do cancro da pele. Este assunto será desenvolvido nas próximas semanas mas, neste exacto momento, pode já tomar uma atitude: prevenir!

Se partirmos do princípio que a exposição é um dos principais factores do cancro da pele, as medidas de prevenção passam por evitar ou diminuir essa exposição. Assim, surgem pelo menos dois grupos na população: o grupo que se expõe de livre vontade por períodos longos num curto espaço de tempo (nas férias, por exemplo), e um outro grupo, que devido à sua actividade profissional, ficam muito tempo expostos ao sol (agricultores, trabalhadores da construção civil, etc…).

Por isso, recomenda-se que: antes de iniciar a sua actividade lúdica, mesmo antes de sair de casa, aplique o protector solar (protecção para os raios UVA e UVB) com factor protecção solar (FPS) igual ou superior a 15. Renove a aplicação do protector solar a cada 2 horas, e sempre que sair da água, mesmo que o protector seja “à prova de água”. O nevoeiro pode esconder o sol, mas não esconde nem protege da radiação UV, por isso não facilite… Não se esqueça que os lábios também devem ser protegidos e existem protectores do tipo baton. Os olhos ficam protegidos com óculos de sol com protecção para os raios UV. Reforce a protecção usando chapéu ou boné e com roupa que cubra a maior área de pele possível.

Tente não estar exposto à radiação solar entre as 12 e as 16 horas, altura em que o risco de ficar com uma queimadura solar é maior. Adormecer ao sol, mesmo à sombra de um guarda-sol, pode causar-lhe queimaduras… O guarda-sol é um tecido, que não absorve toda a radiação UV e a própria areia e água reflectem a radiação. O truque será mexer-se e alternar com períodos de repouso à radiação. Para além disto, mantenha a pele hidratada levando consigo água numa mala térmica se preferir. O ideal é passear, andar de bicicleta, nadar ou jogar à beira mar, no início da manhã ou no fim da tarde.

Já contou quantos sinais tem, por exemplo, na cara? Os sinais têm de ser vigiados e qualquer alteração de cor, textura, tamanho ou forma deve ser logo comunicada ao seu médico.

Agora confira comigo: todas estas orientações partem da decisão de cada um de nós, todos nós temos um papel activo na prevenção se para tal estivermos disponíveis.

Fontes de informação: AVRIL, M. [et al] – Exposição solar: benefícios, riscos e prevenção. Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo. http://www.apcc.online.pt/

Miguel Oliveira, natural de Braga, licenciado em Enfermagem pela Escola Superior de Enfermagem de Calouste Gulbenkian – Universidade do Minho (2007), com passagem por Itália na área oncológica ao abrigo do programa de intercâmbio Europeu ERASMUS. Formador com CAP (2008), Pós-Graduado em Neuropsicologia de Intervenção pelo CRIAP/Associação Portuguesa de Neuropsicologia (2010). Colaborou no IEFP como formador. Iniciou a atividade de enfermagem em 2008 num hospital oncológico em Portugal, atualmente exerce a profissão no Reino Unido. Colaborou em vários projetos relacionados com a prevenção primária e apoio a doentes com cancro colo-rectal e seus familiares (Europacolon Portugal). Membro ativo na Associação de Enfermagem Oncológica Portuguesa, atualmente colaborador no Workgroup Dor. Por indicação do autor, os seus textos não obedecem ao novo acordo ortográfico.     Miguel Oliveira, born in Braga, Portugal, completed the Nursing License Degree at Calouste Gulbenkian Superior Nursing School, University of Minho (2007), with oncology experience in Italy under the European student exchange program ERASMUS. Former certified by IEFP (2008), completed the Post-Graduate Degree in Neuropsychology Intervention at CRIAP/ Portuguese Society of Neuropsychology (2010). Collaborated with IEFP as a former. Started as a Nurse Staff in 2008 in a cancer hospital in Portugal, at the moment is a Registered Nurse working in the UK. Collaborated in several projects dedicated to cancer primary prevention and support to colorectal cancer patients and its family (Europacolon Portugal). Active member of the Portuguese Association of Oncology Nursing, at the moment collaborates with the Pain Workgroup.