Seja curioso, ação da quimioterapia nas células tumorais

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter

A quimioterapia tem como objetivo o tratamento de doenças neoplásicas. A sua administração pode ser isolada ou em combinação, de forma a atuar a nível celular e interferir no seu processo de crescimento e divisão. A maioria dos citotóxicos usados na quimioterapia não destrói de uma forma seletiva e exclusiva as células tumorais. São substâncias que em geral são tóxicas para os tecidos de rápido crescimento, caracterizados por uma alta atividade mitótica e ciclos celulares curtos.

A divisão e o crescimento das células apresentam uma determinada sequência de eventos a que se dá o nome de ciclo celular e cujo resultado final é a formação de duas células.

Para que isso aconteça as células passam por cinco fases. A fase G0 ou fase de descanso é uma fase não proliferativa dos tecidos, pois estes não se dividem, razão pela qual não são vulneráveis à ação dos citotóxicos promovendo as recidivas e metástases.

A fase G1, representa o inicio do processo de divisão celular onde ocorre a síntese do RNA e das proteínas necessárias à formação do DNA. Tem uma duração que pode variar de horas a anos.

Na fase S que é a que se segue, ocorre a síntese do DNA havendo a duplicação do material genético. A sua duração varia entre 10 a 30 horas.

Seguidamente a célula entra na fase G2 ou pré-mitótica, onde ocorre a síntese de RNA e de proteínas importantes para a o processo de divisão, tendo esta fase a duração de uma a doze horas.

A última fase é a fase M onde ocorre a separação dos cromossomas e consequentemente a duplicação das células ou seja a formação das células-filhas idênticas.

Todas as células normais ou neoplásicas passam pelas mesmas fases para se dividirem. A diferença básica consiste no facto de nas células normais a sua produção ocorrer de forma a preencher as necessidades, havendo um balanço entre as que nascem e as que morrem enquanto que as neoplásicas continuam a sua multiplicação, não obedecendo ao comando de cessação da multiplicação.

O conhecimento da cinética do ciclo celular e tumoral é importante para o conhecimento acerca do tratamento com citotóxicos. Sabe-se que estes medicamentos atuam nas células que estão em processo de divisão ativa, sendo mais eficazes quando usadas precocemente, ou seja quando o tumor é ainda pequeno. Também apresentam uma atuação mais eficaz nos tumores de rápido desenvolvimento pois estes são mais suscetíveis à ação dos citotóxicos.

Daí a necessidade de cada individuo se tornar curioso. Quanto mais cedo for descoberto um tumor, mais probabilidades existem de cura tanto com citotóxicos como com outras formas de tratamento.

 Fontes de Informação: Bonassa, Edva. (2000) Enfermagem em quimioterapia. Atheneu. Phipps; Long; Woods & Cassmeyer. (2009). Enfermagem Médico-cirurgica. Conceitos e prática clínica. Lusodidacta. Costa, C.; Magalhães, H.; Félix, R.; Costa, A. & Cordeira, S. (2005). O Cancro e a Qualidade de Vida. Novartis. Créditos da imagem:Richard Wheeler (Zephyris) 2006. Schematic representation of the cell cycle. Cytokinesis forms rapidly in the process of the cell cycle.

Ana Paula Figueiredo

Sobre Ana Paula Figueiredo

Ana Paula Figueiredo é enfermeira especialista em Saúde Mental e Psiquiatria pela Escola Superior de Enfermagem do Porto. Exerce a sua atividade profissional na área da oncologia, no Porto. É autora de histórias infantis na área da educação para a saúde.