O yoga no cancro da mama

Share on Facebook85Share on Google+0Tweet about this on Twitter

O yoga oferece suporte físico, psicológico e espiritual a pacientes com cancro da mama, durante o tratamento oncológico, no pós tratamento, e também para os cuidadores.

Fatores como o stress, ansiedade, medo e angústia, associados ao cancro, motivam muitas vezes a procura de técnicas de apoio a nível físico, mental, emocional, e até mesmo espiritual. Também é comum colocar-se em questão vários aspetos da vida e procurar ferramentas de autoconhecimento. O yoga pode responder a estes desafios e ser um recurso importante à medida que se conhecem e experienciam os benefícios dinâmicos da sua prática.

Durante o tratamento há cuidados a ter e para isso deve colocar diversas questões para encontrar uma aula de yoga adequada às suas necessidades. A melhor opção, a mais cautelosa, para uma maior proteção física é recorrer a aulas particulares, sem ficar exposto a ambientes mais susceptíveis a contactos com alguns vírus, por exemplo o vírus da gripe. Por outro lado permite que o professor apenas se dedique especificamente à paciente e ao seu processo.

Aulas de yoga restaurativo para pacientes com cancro da mama

Deve procurar os estilos de yoga que são mais suaves ou são frequentemente adaptados para este tipo de situações. A primeira pergunta a fazer numa escola de yoga é: existe aulas de yoga restaurativo?

Nestas aulas utiliza-se material de apoio, como cadeira, marquesa, para além das tradicionais mantas, blocos, almofadas e cintos.

Mais importante do que o estilo de yoga, no entanto, é o professor. Há muitos instrutores de yoga com formação complementar em yogaterapia ou com formação em “yoga e cancro”.

Registe alguns conselhos gerais para iniciar a prática de yoga:

  • procure um professor que o motive a aceitar o momento presente e saber viver esse momento em toda a sua plenitude e aceitação; que o estimule e ensine a ouvir o seu corpo, a conhecer os limites da sua capacidade física e emocional para que a prática de yoga seja plena. Procure alguém que o faça sentir-se confortável, com a aula e consigo mesmo. Cada aula deve assemelhar-se a uma conquista e não a um conjunto de posturas e técnicas de respiração e meditação, que não encaixam naquilo que procura.
  • nem todos os estilos de yoga são apropriados para esta fase da vida. Evite as práticas intensas pois essas provocam o aumento da produção de cortisol, a hormona do stress, exatamente o que não precisa nesta fase da sua vida.
  • é aconselhável consultar o seu médico antes de se envolver na prática do yoga, ou em qualquer outra atividade física. O ideal é conseguir com que o médico e o professor de yoga conversem um com o outro e possam definir para si o melhor plano para a sua recuperação.

Dê o maior número de informações possíveis, sobre a sua doença, para que o professor possa apoiar da forma mais eficaz.

Referências: Yoga for Breast Cancer patients and survivors (2010), by Yoga Seeker; Thriving After Breast Cancer: Essential Healing Exercises for Body and Mind by Sherry Lebed Davis, Publicado em Setembro de 2002, Ed. Broadway; Yoga for Cancer: A Guide to Managing Side Effects, Boosting Immunity, and Improving Recovery for Cancer Survivors, by Tari Prinster, Publicado por Healing Arts Press; Foto by Julia Caesar:https://unsplash.com/juliacaesar 

Alexandra Pereira

Sobre Alexandra Pereira

Alexandra Pereira é professora de yoga certificada pela Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda (AIPYS). Acredita que a prática de yoga pode oferecer uma melhoria da condição física, mental e psicológica do praticante.