Alecrim, sempre aos molhos!

Share on Facebook530Share on Google+0Tweet about this on Twitter

O alecrim é uma planta que todos conhecemos, nem que seja por ouvir o seu nome na música tradicional Portuguesa Alecrim, com o célebre refrão “alecrim aos molhos”.

Já pensou em tê-lo aos molhos num vaso em sua casa?

Rosmarinus officinalis ou simplesmente alecrim é uma planta perene sempre-verde, densa e lenhosa. O seu caule é frondoso com casca castanha cinzenta estalada e rebentos novos pilosos que estão cobertos por folhas estreitas, aromáticas, rijas, escuras brilhantes por cima e acinzentadas por baixo. Pode atingir as dimensões de um arbusto grande e desordenado, mas tem crescimento lento, adaptando-se a vasos de todos os tamanhos.

Como plantar alecrim?

Veja como é fácil cultivar e ter alecrim. Siga apenas estes 4 passos:

  1. Instale por sementeira direta, isto é, adquira as sementes em qualquer loja de produtos agrícolas, ou faça mesmo uma compra online
  2. Coloque as sementes, 5 a 30 mm de profundidade na terra a uma distância de aproximadamente 80 cm, uma vez que a planta se torna bastante grande. Portanto para um vaso ou para um metro quadrado de terra, use apenas 1 semente
  3. A planta necessita de um solo bem drenado e um local com muita iluminação, assim  a rega deve ser feita todos os dias, e se necessário de manhã e ao fim da tarde. Se estiver um dia cinzento, basta regar uma vez. O alecrim adapta-se bem a temperaturas mais baixas.
  4. Após 90 dias do cultivo pode colher as pontas de alecrim e começar a usar na cozinha.

O alecrim é um ótimo tempero para qualquer prato. Pode utilizá-lo na sopa, na confecção de um prato principal, em saladas, e até para beber um chá, de agradável sabor.

Esta planta apresenta na sua constituição química, alguns componentes bioativos: diterpenos fenólicos, sobretudo o ácido carnósico e o carnosol, e triterpenos como o ácido ursólico. Estes conferem ao alecrim propriedades anti inflamatórias e uma ação antioxidante, hepatoprotetora e anticancerígena.

Experimente apanhar alguns ramos de alecrim, leve as folhas num tabuleiro ao forno e toste-as! Depois adicione o alecrim tostado em saladas ou numa sandwich de salmão fumado ou de carne assada com alface e rúcula. Diga-nos se gostou da combinação.

Referências: Clevely Andy, Katherine Richmond. Manual completo de Plantas e Ervas Medicinais. Lisboa: Editorial Estampa;  Isabel Borrás-Linares , Zorica Stojanović et Al. Rosmarinus Officinalis Leaves as a Natural Source of Bioactive Compounds . Int. J. Mol. Sci. 2014, 15, 20585-20606; doi:10.3390/ijms151120585. Kyung-Soo Chun, Juthika Kundu, In Gyeong Chae, Joydeb Kumar Kundu. Carnosol: A Phenolic Diterpene With Cancer Chemopreventive Potential. Journal of cancer preventionVol.19, No.2 June, 2014.
Fonte da imagem: http://2.bp.blogspot.com/-t0Obzn0_peQ/Un0lD-tTAnI/AAAAAAAAAwA/Za6nUPbK87s/s1600/

Catarina Santos

Sobre Catarina Santos

Catarina Santos é licenciada em Dietética pela Escola Superior de Saúde de Leiria. Interessa-se pela área das Tecnologias de Produção Animal e Vegetal e pela Nutrição.