O yoga na redução do stress

Sabemos que o yoga fortalece o corpo e a mente. Mas poderá também ajudar a prevenir o cancro, ao reduzir o stress?

O Centro de Medicina Integrativa da Universidade Thomas Jefferson, em colaboração com o Yoga Research Society, realizou uma pesquisa para estudar a relação dos níveis de cortisol (hormona ligada ao stress) com a prática de yoga.

No primeiro dia, os níveis de cortisol foram medidos em homens e mulheres saudáveis ​​antes e depois de 50 minutos de um “período de silêncio”, sem a realização de uma aula de yoga (o que se pode chamar de dia controle). No dia seguinte, os níveis de cortisol foram medidos no mesmo grupo, antes e depois, de uma sessão de yoga de 50 minutos. Durante os cinco dias seguintes, os participantes praticaram yoga durante 50 minutos. No sétimo dia, os níveis de cortisol foram medidos antes e depois da sessão de yoga.

De 48 indivíduos observados, verificou-se, em 42 desses indivíduos, uma diminuição nos níveis de cortisol. Também nesses mesmos indivíduos, quando se compararam os níveis de cortisol nos dias de prática de yoga, com os níveis do dia controle, observou-se uma redução maior nos dias de prática de yoga.

Estes resultados são consistentes com as pesquisas anteriores sobre a relação da prática de yoga e os níveis hormonais. E podem ajudar a estabelecer o impacto do yoga na secreção hormonal da glândula suprarrenal, fornecendo também dados preliminares de como o yoga clássico (Hatha Yoga) pode ser aplicado como uma intervenção terapêutica.

Neste sentido, uma aula de yoga deve proporcionar:

  • Relaxamento inicial, para adquirir consciência do local onde se encontra e preparar-se física, mental e emocionalmente para a sessão de yoga.
  • Técnicas de pranayama (respiração). O controlo da respiração é fundamental, não só durante a prática da aula, mas a progressiva consciência da respiração permite acalmar a mente no dia-a-dia.
  • Prática de asanas (posturas), para incrementar a flexibilidade, a tonicidade muscular, a concentração e o uso da respiração calma e fluida. A prática de asanas implica a prática de movimento, respiração e concentração adequados, isto é, significa o respeito pela capacidade individual de cada um.
  • Relaxamento final: interiorizar os efeitos da aula, acalmar o ritmo respiratório, cardíaco, o corpo e a mente.
  • Meditação, para focar a atenção da mente na respiração, mantra ou objeto.

Referências: New research shows link between yoga and reduction of stress hormone de ENDO Endocrine Society, Philadelphia, June 19 2003; Exercise and Health de MD Anderson Cancer Center; Yoga: Build a strong body and mind de MD Anderson Cancer Center, Abril 2013.; Manual Curso de Professores de Hatha Yoga Ed. Vidya-Academia de Yoga do Porto, 2010.
Fonte da imagem: http://www.yogaes.com/asanas/

Alexandra Pereira

Alexandra Pereira é professora de yoga certificada pela Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda (AIPYS), Espanha 2000. Licenciada em Filosofia (FLUP 1988) tem o Curso de osteopatia do Instituo Biomédico Hygea de Espanha (2005). Exerce a sua atividade profissional como professora (...)