O surto por E. coli enterohemorrágica

Share on Facebook10Share on Google+0Tweet about this on Twitter0
EHEC

A Escherichia coli (E. coli) é uma bactéria comum, fazendo parte da flora bacteriana encontrada normalmente no intestino dos humanos e dos animais sendo, geralmente, inofensivas. No entanto, há estirpes específicas de E. coli capazes de produzir toxinas como é a E. coli enterohemorrágica (EHEC).

A toxina em causa tem a capacidade de causar gastroenterite com diarreia sanguinolenta que pode conduzir à insuficiência renal aguda.

Quais são os primeiros sintomas?

Diarreia, que pode ser com sangue, acompanhada ou não por vómitos. Outros sintomas incluem febre, irritabilidade, letargia e fraqueza. Os indivíduos infectados também podem urinar menos que o normal.

Quais são as fontes de contaminação?

A transmissão da infecção por EHEC ocorre principalmente através da ingestão ou manipulação imprópria de alimentos contaminados. Uma grande variedade de alimentos pode ser a fonte da infecção: carne mal cozinhada, leite não pasteurizado, uma variedade de produtos frescos, suco de maçã não pasteurizado, queijo.

Medidas que podem ajudar a reduzir os riscos de contaminação por EHEC:

É fundamental seguir boas práticas de higiene alimentar e pessoal, precauções simples que se podem tomar para reduzir o risco de contágio com alimentos potencialmente contaminados.

  • Lave as mãos com sabão e água morna, antes e após a preparação de alimentos e entre a preparação de alimentos diferentes.
  • Previna a contaminação cruzada, não utilize os mesmos utensílios para diferentes alimentos (facas, tábuas de cozinha, garfos, etc.). Não deixe que a carne crua, ou seus sucos, entrem em contacto com carne cozinhada ou com qualquer outro alimento que não tenha sido cozinhado antes de comer. Limpe as mãos, as superfícies e os utensílios após manusear carnes frescas, carnes de aves e antes de manusear um produto fresco (ou qualquer outro alimento).
  • Cozinhe bem a carne. Os hambúrgueres de carne, por exemplo, devem ser cozinhados a uma temperatura mínima interna de 70 º C por mais de 2 minutos.
  • Lave cuidadosamente as frutas e os produtos hortícolas com água limpa e corrente.
  • Descasque e retire as folhas externas ou cascas. Esfregue cuidadosamente os legumes se quiser comer a pele. Use uma escova de legumes e água para esfregar os que têm a pele dura, como o melão, as maçãs ou as cenouras, antes de os cortar e servir. Frutas mais pequenas e delicadas, como cerejas, morangos e uvas são facilmente lavadas com um coador.
  • Lave as mãos regularmente antes e após as refeições, a ida à casa de banho ou mudança de fraldas.
  • Tenha atenção com os cuidados de higiene com pessoas com pouca autonomia, como as crianças pequenas.
  • Qualquer pessoa com diarreia ou vómitos não deve preparar ou manipular alimentos.

A OMS declarou que a EHEC 0104 “é uma estirpe original que nunca foi isolada de pacientes anteriormente”. O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, com sede na Suécia, refere que este surto do Síndroma hemolítica-urémica é um dos maiores descritos em todo o mundo e o maior já relatado na Alemanha “. O surto circunscrito à Alemanha conta com quase 3 mil casos detectados. Esta infecção não é de contágio directo, mas pode ser transferida entre pessoas, desde que uma pessoa infectada prepare refeições para os outros.

Margarida Vieira

Sobre Margarida Vieira

Margarida Vieira é nutricionista e doutorada em Estudos da Criança na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Os seus interesses de investigação estão centrados na promoção e comunicação para a saúde e na prevenção do cancro. Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal - adotar um estilo de vida saudável.