Parlamento Europeu quer reduzir a incidência do cancro em 15% até 2020

Um maior investimento por parte dos Estados-membros da União Europeia na prevenção do cancro é a nova directiva do Parlamento Europeu – um terço dos cancros é “evitável”.

Foi aprovado, no passado mês de Abril, a criação da Parceria Europeia de Acção contra o Cancro para o período de 2009-2013. O seu objectivo é reduzir a incidência do cancro em 15% até 2020.

O relatório orienta para que “sejam investidos recursos, de forma sistemática e estratégica, na prevenção; caso contrário este objectivo pode continuar a ser um sonho”.

Coloca em pé de igualdade diferentes factores de risco da doença oncológica: os genéticos, o estilo de vida e os factores relacionados com o ambiente e com a vida profissional. Por outras palavras, um programa nacional de prevenção e controlo do cancro deve assegurar a promoção de estilos de vida saudáveis bem como reduzir a exposição a poluentes cancerígenos no ambiente e no local de trabalho.

Este documento frisa: “Uma das acções mais importantes da Parceria deve consistir em instar todos os governos da União Europeia a criar, a aplicar e, caso já existam, a melhorar os planos nacionais de combate ao cancro. Esses planos devem promover a luta contra a doença em todas as frentes, desde a prevenção, o rastreio e a detecção precoce ao diagnóstico e tratamento de elevada qualidade e aos cuidados psicossociais e paliativos, passando pela investigação sobre cancro”.

O cancro causa em Portugal: duas em cada dez mortes, nas mulheres, e três em cada dez mortes, nos homens. Por isso, o Stop Cancer Portugal está empenhado e disponível para colaborar em planos que saiam do papel e se tornem em acções com resultados mensuráveis.

Margarida Vieira

Margarida Vieira, nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição (FCNAUP-1991), mestre em Nutrição Clínica (ISCSEM-2008). Doutorada em Estudos da Criança, na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a cédula profissional n (...)