Como é que uma vacina se torna uma vacina?

Como é que uma vacina se torna uma vacina?

Com a pandemia COVID-19, toda a névoa gerada, na altura, pela desinformação provocou um excepcional aumento da preocupação geral sobre as vacinas e, claro, em particular contra a vacina COVID-19.

Cada etapa na criação de uma vacina é escrupulosamente avaliada para que seja uma terapêutica segura.
A primeira etapa é a fase exploratória, depois segue-se a fase de testes pré-clínicos, baseada em processos bastante rigorosos e os investigadores não avançam além desta fase, até provarem que a probabilidade de a vacina ser prejudicial é escassa.

A etapa seguinte envolve ensaios clínicos, com testes em humanos: primeiro com um pequeno grupo de pessoas com menos de 100 adultos saudáveis para se ir estendendo a dezenas de milhares de pessoas.

Mesmo depois de uma vacina ser aprovada e de ser disponibilizada ao público, os testes continuam. São os ensaios da fase quatro, onde os investigadores e as agências reguladoras rastreiam como é que o público reage à vacina ao longo do tempo. Monitorizam-se efeitos secundários, recolhem-se e analisam-se dados de uma população cada vez mais vasta.

No video educativo para o canal TED, a médica Jen Gunter dá a conhecer como se desenvolve uma vacina, os testes a que é sujeita para se tornar uma terapêutica segura e salve vidas. E adianta que a vacinação contra a COVID-19 salva vidas, em especial as grávidas e os seus bebés.

Jen Gunter é médica ginecologista e especialista em medicina da dor e defende a medicina baseada na evidência e tem como missão contribuir para separar os factos da ficção no campo da saúde.

Assista agora ao vídeo completo com legendas disponíveis em português.