Adoptar um estilo de vida saúdavel

Gostou? Partilhe

Reabilitação auditiva e binauralidade: diferentes formas de atuar

Reabilitacao-auditiva

Os procedimentos de reabilitação auditiva devem ter como objetivo promover o maior número possível de vantagens binaurais. As principais são: localização sonora, melhor perceção da fala no ruido, redundância binaural e melhor aprendizagem da linguagem nas crianças.

Quando ambos os ouvidos são estimulados para processar o som, existe uma melhoria notável na compreensão da fala. A audição com um só ouvido reduz a capacidade de distinguir a fala no ruído. Por outro lado, quando é feita adaptação de próteses nos dois ouvidos, estas requerem menos amplificação do que se fosse só uma. O resultado é uma melhor qualidade sonora e menor distorção.

Os meios de reabilitação auditiva que visam a reposição da binauralidade são:
1) Prótese auditiva com ou sem sistema cros/bicros (Contralateral Routing of Sound / Bi-Contralateral Routing of Sound) – quando uma prótese convencional não permite repor audição num ouvido com surdez acentuada, o sistema cros/bicros pode ser a solução.

Este sistema consiste em dois dispositivos: um microfone usado no pior ouvido e uma prótese auditiva no outro. Através deste sistema, o som é captado pelo microfone do ouvido que não ouve e transmitido ao ouvido melhor, via wireless, a chamada solução Cros, dando a sensação de estereofonia.
Se, por sua vez, o ouvido melhor tiver algum tipo de surdez, com recurso à solução BiCros, a prótese auditiva repõe também a audição deste lado.

2) Prótese osteointegrada – dispositivo que funciona por condução óssea, com recurso a uma técnica cirúrgica simples.
É, geralmente, indicado em surdez de transmissão, quando as próteses convencionais não são as mais indicadas.

3) Implante coclear – dispositivo eletrónico implantado cirurgicamente que estimula diretamente o nervo auditivo.
Mais direcionado para surdez severa e profunda. A colocação de implantes cocleares nos dois ouvidos tem como objetivo proporcionar uma melhor qualidade sonora.

Há várias situações em que é necessário repor a binauralidade:
a) Audição normal num ouvido e perda auditiva total no outro – a indicação passa por um sistema cros, ou implante coclear.
b) Audição normal num ouvido e perda auditiva parcial no outro – pode beneficiar de prótese convencional, osteointegrada ou ainda sistema cros.
c) Perda auditiva bilateral, mas assimétrica – dependendo do tipo e grau de surdez, podem ser indicadas próteses auditivas convencionais, osteointegradas ou implantes cocleares. Se a perda auditiva do pior ouvido for total, pode ainda beneficiar de prótese com sistema bicros.
d) Zumbido – A utilização de próteses auditivas revela-se eficaz no tratamento do zumbido, quando associado a perda auditiva. Se a adaptação for monoaural pode ser insuficiente, pois a sensação de zumbido pode diminuir apenas no ouvido com prótese, permanecendo no outro.
e) Equilíbrio postural – O equilíbrio depende, basicamente, de três sistemas: visual, propriocetivo e audio-vestibular. Se existe apenas um ouvido funcional, todos os sons se direcionam a este ouvido, favorecendo o desequilíbrio. Assim, a binauralidade pode proporcionar melhor sensação de equilíbrio postural.
f) Crianças com surdez – é importante a intervenção precoce e binaural.

Apesar da importância da binauralidade, não deve ser descurado o fenómeno da interferência binaural, que é uma alteração do processamento auditivo central. É necessário existir integridade do sistema auditivo e do sistema nervoso central, para se processar a informação, analisando as características dos estímulos, de forma a serem interpretados.

Não basta ouvir sons, é necessário percebê-los. Quando este processamento não é feito corretamente num ouvido, a utilização de prótese auditiva pode trazer mais confusão do que auxílio, prejudicando, até, a audição conseguida com o outro ouvido. Este fenómeno resulta numa maior dificuldade de compreensão da fala. Há melhor desempenho e conforto utilizando apenas uma prótese auditiva. Assim, para auxiliar o diagnóstico audiológico desta interferência, são necessários vários testes de processamento central, nomeadamente o teste dicótico de dígitos. Em termos de reabilitação, antes da adaptação da prótese auditiva, pode ser necessário recorrer a treino auditivo.
Qualquer perda auditiva, sempre que haja indicação, deve ser corrigida para prevenir a privação sensorial. De realçar, ainda, que uma correta adaptação protésica, pode minimizar o impacto de outras patologias associadas, como ansiedade, depressão, ou até a demência.

[fonte]Referências: Frederick J. Gallun, Impaired Binaural Hearing in Adults: A Selected Review of the Literature, Review article, Front. Neurosci., 19 March 2021, Sec. Auditory Cognitive Neuroscience
https://doi.org/10.3389/fnins.2021.610957. Créditos de imagem: https://www.binaural.com.br/wp-content/uploads/2021/10/ouvido-absoluto-2.png[/fonte]

Cada um de nós, de forma individual, pode reduzir o risco do cancro do cólon. Prepare-se para começar gradualmente a ser mais ativo!
A síndrome de Cogan é uma doença autoimune rara. A avaliação e o tratamento precoces revelam-se fundamentais no controlo de sintomas.
Cada um de nós, de forma individual, pode reduzir o risco da incidência de cancro do fígado. Tome nota de 3 medidas!
A Osteogénese Imperfeita é uma doença hereditária, resultando alterações ósseas, anomalias cardiovasculares e em 50% dos casos, surdez.