Adoptar um estilo de vida saúdavel

Gostou? Partilhe

Cancro do pâncreas: conheça melhor para prevenir

cancro do pancreas

O cancro do pâncreas não se encontra entre os mais prevalentes no Mundo, no entanto é o sétimo mais mortal, tendo-se registado 432 242 mortes em 2018. A maioria dos casos (46,7%) registaram-se no continente asiático e no continente europeu (28,9%). Em Portugal registaram-se 1 619 novos casos em 2018.

O pâncreas é um órgão importante que se localiza atrás do estômago. É responsável por secretar enzimas digestivas para o intestino delgado e pela produção de hormonas que influenciam o metabolismo da glucose, tais como a insulina e o glucagon.

O diagnóstico tardio é um contributor relevante para a elevada mortalidade, deste tipo de cancro que surge com maior frequência entre os 60 e os 80 anos e em homens.

Cancro do pâncreas: fatores de risco

A presença de um ou mais casos de cancro do pâncreas na familia é considerado um fator de risco para o desenvolvimento desta doença, no entanto a maioria dos casos não tem origem em mutações genéticas herdadas. Outros fatores de risco são: a pancreatite crónica, a diabetes tipo 2 e os hábitos tabágicos, pensando-se que 25% dos casos possam ser atribuídos a estes últimos.

Quanto aos fatores de estilo de vida que contribuem para o aumento do risco de desenvolver cancro do pâncreas, há evidência científica forte que aponta o excesso de peso e a obesidade como fatores de risco a considerar.

O consumo de carnes vermelhas, carnes processadas, gorduras saturadas, bebidas e alimentos com elevado teor de frutose e bebidas alcoólicas, parecem contribuir para o aumento de risco. Neste caso a evidência científica não é forte, o que significa que mais estudos serão necessários para confirmar estas observações.

Cancro do pâncreas: redução do risco

Quanto a fatores que possam contribuir para a redução do risco, deverão ser tidas em conta as recomendações gerais para a prevenção do cancro, já que não há evidência forte que aponte para o papel protetor de um grupo e alimentos em particular. Relembramos as recomendações:

– Reduza a ingestão semanal de carne vermelha para 350 – 500g (peso após confeção) e apenas ingira carnes processadas esporadicamente.
– Mantenha um peso adequado para a sua idade e estatura, limitando a ingestão de bebidas açucaradas e de alimentos ricos em açúcares de absorção rápida.
– Limite a ingestão de bebidas alcoólicas.
– Pratique um mínimo de 75 minutos de atividade física intensa ou 150 minutos de atividade física moderada por semana. A atividade física contribui para a manutenção de um peso saudável, por isso reduza os tempos sedentários e pratique uma atividade física que goste de forma regular.
– Aumente a ingestão de alimentos ricos em fibra como cereais integrais, oleaginosas, leguminosas e ingira um mínimo diário de 5 porções de vegetais e fruta (equivalentes a 400g).

[fonte]Referências: Global Cancer Observatory (http://gco.iarc.fr/), International Agency for Research on Cancer 2018. World Cancer Research Fund/American Institute for Cancer Research.Continuous Update Project Expert Report 2018.Diet, nutrition and physical activity and pancreatic cancer. Available at dietandcancerreport.org. Zheng J, Guinter MA, Merchant AT, Wirth MD, Zhang J, et al. Dietary patterns and risk of pancreatic cancer: a systematic review. Nutr Rev. 2017 Nov 1;75(11):883-908. Crédito das imagens: fiercebiotech.com [/fonte]

A prática de yoga conduz o praticante a uma perceção de quem é. Conheça algumas verdades sobre o yoga e avalie os benefícios da sua prática.
Neste artigo exploramos o que é o autocuidado na saúde e na doença e quais são os fatores que podem influenciar.
O diagnóstico de uma surdez genética não-sindrómica é feito a partir de testes genéticos moleculares. Saiba mais sobre o tema.
O Código Europeu Contra o Cancro descreve medidas para que cada um possa adotar e reduzir o risco de cancro. Conheça as 12 medidas.