Consulta de nutrição durante o tratamento do cancro: o que deve esperar

A consulta de nutrição é parte importante do tratamento oncológico. Não há nenhum alimento ou regime alimentar com capacidade para matar células cancerígenas ou curar o cancro, porém há escolhas alimentares que se fazem e que podem ter um grande impacto durante o tratamento de um cancro. Há certas alterações na dieta com capacidade para aliviar os efeitos colaterais e ajudar a manter um bom estado físico, gerando algum bem-estar durante o tratamento.

Por esta razão, o oncologista deve referenciar o doente oncológico para uma consulta com um nutricionista, que o deve acompanhar em todas as fases do tratamento. Ou, quando o doente está mais informado, deve solicitar à sua equipa médica, a indicação de que pretende ser acompanhado por um nutricionista.

Se é a primeira vez que vai a uma consulta com um nutricionista, deve ir preparado e aproveitar esse momento ao máximo. Leve consigo algumas informações. Por exemplo, fotografias de vitaminas ou suplementos que está a tomar; uma lista de todos os efeitos secundários que tem vindo a experimentar e em que condições ocorrem, para que o nutricionista possa fazer alterações à dieta, com o objetivo de aliviar alguns efeitos como fadiga, náuseas, dores de estômago e dores de cabeça; um registo do que anda a comer para que o nutricionista possa perceber o seu padrão alimentar.

Durante a consulta de nutrição oncológica, o seu nutricionista fará uma avaliação nutricional para se inteirar dos hábitos alimentares e uma avaliação física, além de compreender o que tem vindo a sentir.

A avaliação física permite que o nutricionista compreenda se perdeu peso e, em caso afirmativo, se é significativo ou não, para procurar sinais de desnutrição. A perda de gordura e a perda muscular são os sinais mais comuns de desnutrição, mas a avaliação física pode incluir ainda outros sinais de desnutrição com a observação da boca, olhos, pele e unhas.

De acordo com o tipo de cancro, alguns estudos mostram que cerca de 85% dos doentes sofrem de desnutrição em alguma etapa do tratamento, 40% perdem mais de 10% do peso corporal e mais de 50% apresentam anorexia.

Depois da 1ª consulta, a consulta de acompanhamento periódico ajudará a sentir-se orientado, com mais confiança para ultrapassar momentos diferentes que requerem objetivos diferentes. Passará a prestar mais atenção ao modo como se alimenta e o que o afeta mais. O tratamento é um processo e as necessidade nutricionais devem ser adaptadas para acompanhar adequadamente os diferentes períodos desse processo. Por isso, não tenha receio de fazer perguntas ao seu nutricionista.

Durante o tratamento, é natural que o objetivo seja contornar os efeitos secundários dos tratamentos e a preservação da massa muscular. Depois do tratamento, deve concentrar-se em outros objetivos, como por exemplo adotar comportamentos alimentares e uma dieta saudável para reduzir o risco de recorrência.

Referências:Ryan, A. M., Power, D. G., Daly, L., Cushen, S. J., Bhuachalla, Ē. N., & Prado, C. M. (2016). Cancer-associated malnutrition, cachexia and sarcopenia: the skeleton in the hospital closet 40 years later. Proceedings of the Nutrition Society75(2), 199-211.

Margarida Vieira, nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição (FCNAUP-1991), mestre em Nutrição Clínica (ISCSEM-2008). Doutorada em Estudos da Criança, na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a cédula profissional nº 0052N. Investigadora na Fundação para a Ciência e Tecnologia (2011-2015). Membro do Centro de Investigação em Estudos da Criança – CIEC. Desenvolve a sua atividade na Investigação e na área da Nutrição Clínica. É autora e coordenadora de projectos de prevenção primária na área da saúde, bem como na organização e dinamização de seminários sobre hábitos alimentares saudáveis, predominantemente em ambiente escolar. Os seus atuais interesses de investigação, são no domínio da promoção e da comunicação para a saúde, na prevenção do cancro e de outras doenças crónicas. Responsável pela conceção e coordenação de campanhas para a prevenção do cancro. Trabalhou no Marketing Farmacêutico e especializou-se em Gestão e Comunicação da Marca (IPAM – 2003). Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal, adotar um estilo de vida saudável. Usa o novo acordo ortográfico. Margarida Vieira, nutritionist, is PhD in Child Studies of the University of Minho. Member collaborator of the Research Centre for Child Studies - CIEC. 
She is author and coordinator of projects for primary prevention in health care as well as in the organization and promotion of workshops on healthy eating habits in the schools. Her current research interests are cancer prevention and other chronic diseases and health communication.
 Responsible for the design and coordination of the awareness of campaigns for the prevention of cancer. Worked in Pharmaceutical Marketing and specializes in Brand Management and Communication. Author and Founder of Stop Cancer Portugal Project.