Ter uma melhor personalidade?

Podemos mudar a nossa personalidade? É uma pergunta pertinente. Há quem diga que ela, uma vez formada, não se altera. Outros têm uma visão diferente: que apesar das suas grandes estruturas, uma vez formadas, se manterem, há aspetos que podem ser trabalhados de forma a que se repercutam em comportamentos diferentes.

Ora sabe-se que há estruturas praticamente inalteráveis como o temperamento mas há também elementos da personalidade que são passíveis de se transformarem através de um esforço consciente, eu diria, de uma aprendizagem autodidata (assumida e conduzida pelo próprio).

É o caso da chamada personalidade autotélica, a qual permite que uma pessoa transforme facilmente potenciais ameaças em desafios agradáveis, conservando, deste modo, a sua harmonia interior. Segundo o seu mentor, o psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi, as regras para desenvolver uma personalidade autotélica são:

  1. Definir objetivos para a vida – um projeto de vida.
  2. Deixar-se imergir pelas atividades e experiências da vida.
  3. Prestar atenção ao que se passa em seu redor.
  4. Aprender a desfrutar da experiência imediata (sentimento de prazer, estado de fluxo).

Criar harmonia em tudo aquilo que se faz é “a tarefa suprema que a teoria de fluxo propõe a quem pode atingir a experiência ótima; é uma tarefa que implica transformar toda a vida numa única atividade de fluxo, com objetivos unificados que garantam um propósito constante” – escreveu o psicólogo no seu livro “Fluir”.

Fonte de imagem: Southeast Psych

Professor Universitário e Investigador de Mental Performance (Inglaterra e Brasil). Conferencista sobre Saúde, Longevidade e Desenvolvimento. Formação superior em Neuropsicologia e Hipnologia Médica. Colaborador do Stop Cancer Portugal desde Dezembro de 2012. Por indicação do autor, os seus textos não obedecem ao novo acordo ortográfico.  


  Lecturer, researcher and writer of Science and Technology. Pro-Rector and teacher of Neuroscience at the University of the Future (Brazil and England). Registered in the British Science Writers Association (ABSW) and member of the Association for Psychological Science since 2001. Commissioner of Education Quality Accreditation Commission. Regular collaborator in several periodic publications. Collaborator member in the Stop Cancer Portugal since December 2012.