“Associação Colher para Semear – Rede Portuguesa de Variedades Tradicionais”

No passado dia 12 de Fevereiro, na Lamarosa– Torres Novas, ocorreu mais um encontro e assembleia geral da Associação Colher para Semear, no qual tive a oportunidade de estar presente, associando-me a esta nobre causa que é o cultivo de variedades locais e conservação da biodiversidade agrícola.

Esta associação nasceu como resposta ao grave problema do desaparecimento progressivo de variedades agrícolas das nossas hortas e pomares, o que tem vindo a acontecer em todo o mundo por várias razões, das quais se destaca a generalização do uso de sementes híbridas na agricultura. Este tipo de sementes degenera com facilidade perdendo a sua vitalidade natural logo na segunda geração para além de necessitarem de uma gama enorme de biocidas para completar o seu ciclo, com graves consequências para o ambiente e para a nossa saúde já que tal contribui para a redução da nossa qualidade alimentar.

A promoção da nossa saúde, a prevenção do cancro faz-se inquestionavelmente pela melhoria da nossa qualidade alimentar, entre outros factores, pelo que actos conscientes tais como: comprar e consumir alimentos com maior qualidade, produzidos localmente ou até cultivados por nós, recorrendo a sementes livres, descontaminadas e bem adaptadas ao nosso clima e solos, contribuem directamente para a nossa saúde e para a preservação do nosso ambiente. Nesta perspectiva a existência de associações como a Colher para Semear tem implicações importantes para o alcance destes objectivos.

A contribuição para esta associação, sem fins lucrativos, pode ser feita através da inscrição como sócio, da oferta de donativos e géneros, como voluntário em diversas áreas ou como sócio guardião de sementes.

A Colher para Semear desenvolve um importantíssimo trabalho de identificação e recolha de variedades tradicionais, nas diversas regiões do nosso país, disponibiliza as mesmas aos seus sócios e ainda promove e ensina a colher e preservar estas sementes que constituem uma preciosa herança dos nossos antepassados.

Rita Rosado nasceu em 1974 no Barreiro apesar de viver actualmente numa aldeia do Concelho de Tomar com a sua família. Licenciou-se em Psicologia Clínica pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa em 1997, é membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses com a cédula profissional nº 007261 e concluiu o Mestrado em Ciências da Educação – Formação de Adultos em 2007, pela mesma Universidade. Fez formação em Psicoterapia durante 2 anos, na Sociedade Portuguesa de Psicologia Clínica e exerceu esta actividade entre 1998 e 2005. Actualmente trabalha na área de Orientação Profissional e concilia esta atividade com a formação amadora na área musical. O seu interesse pela problemática da prevenção do cancro aprofundou-se após a experiência que vivenciou enquanto familiar de doentes de cancro. A sua abordagem perante a prevenção dos estados de doença tem por base uma visão holística dos seres humanos enquanto seres com uma dimensão física, emocional e até espiritual ou existencial com necessidade de cuidados ao nível de todas estas facetas.     Rita Rosado was born in Barreiro in 1974 but now lives in a small village near the city of Tomar (Central Portugal). Rita studied Clinical Psychology at Psychology and Educational Sciences College at Lisbon University and got her degree on 1997. She also got a Master degree in Educational Sciences – Adults Education, at the same College, ended in 2007. Rita had 2 years training in Psychoterapy at Portuguese Clinical Psychology Society and worked as a Psychoterapist between 1998 and 2005. At the moment she works has a Career Counselling and spends also some time learning music. Rita´s interest in cancer prevention grows when she had to face this problem in her family. Her vision about health prevention is: “We should see human beings in their multiple dimensions, physical, emotional and spiritual or existential and realize the need to care for all these dimensions”.