Prevenir o cancro todos os dias (continuação)

Uma das armas para a prevenção do cancro, acessível a todos, passa por adoptar hábitos alimentares saudáveis através de uma alimentação equilibrada, variada e rica em fibras. Por outras palavras, é uma alimentação maioritariamente composta por vegetais.

Existem dados científicos disponíveis a comprovar os benefícios dos vegetais na prevenção de alguns tipos de cancro.

Mas, então, o que leva a maioria das pessoas a ignorar os vegetais diariamente na alimentação?

De facto, vamos ignorando os vegetais, com algum sentido de despreocupação; isto porque no nosso dia a dia não fazemos uma ligação directa entre a  alimentação e a saúde. Estamos muito ocupados a viver o presente. A doença não é uma preocupação agora e o futuro há-de vir, está longe… só acontece aos outros, diz-se!

Apesar das campanhas de rastreio e dos tratamentos que oferecem a cura, não se deve desperdiçar nenhuma estratégia para combater o cancro.

Os vegetais contêm muitas substâncias protectoras e são armas poderosas prontas a usar: têm capacidades  para impedir ou interromper o desenvolvimento do cancro. Os cientistas designam-nas por fitoquímicos. Estão identificados mais de 25.000 compostos fitoquímicos com potencial anticancerígeno, entre elas encontramos os carotenóides, os polifenóis, as vitaminas, e outros nomes bem mais complicados.

Os vegetais são fontes ricas de folatos que desempenham um papel muito importante na síntese, reparação e metilação do DNA. Estes mecanismos bioquímicos são alguns exemplos das defesas naturais do organismo contra o cancro. Sem folatos disponíveis no corpo, como pode o organismo desempenhar o seu papel protector?

A tarefa de cada pessoa passa por comer aquilo que o seu corpo precisa.  Por exemplo, a beterraba é um vegetal especialmente rico em ferro e ácido fólico, mas se não gostar deste, há outros vegetais que vão permitir variar todos os dias. Não faltam opções no mundo dos vegetais.

Margarida Vieira, nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição (FCNAUP-1991), mestre em Nutrição Clínica (ISCSEM-2008). Doutorada em Estudos da Criança, na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a cédula profissional nº 0052N. Investigadora na Fundação para a Ciência e Tecnologia (2011-2015). Membro do Centro de Investigação em Estudos da Criança – CIEC. Desenvolve a sua atividade na Investigação e na área da Nutrição Clínica. É autora e coordenadora de projectos de prevenção primária na área da saúde, bem como na organização e dinamização de seminários sobre hábitos alimentares saudáveis, predominantemente em ambiente escolar. Os seus atuais interesses de investigação, são no domínio da promoção e da comunicação para a saúde, na prevenção do cancro e de outras doenças crónicas. Responsável pela conceção e coordenação de campanhas para a prevenção do cancro. Trabalhou no Marketing Farmacêutico e especializou-se em Gestão e Comunicação da Marca (IPAM – 2003). Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal, adotar um estilo de vida saudável. Usa o novo acordo ortográfico. Margarida Vieira, nutritionist, is PhD in Child Studies of the University of Minho. Member collaborator of the Research Centre for Child Studies - CIEC. 
She is author and coordinator of projects for primary prevention in health care as well as in the organization and promotion of workshops on healthy eating habits in the schools. Her current research interests are cancer prevention and other chronic diseases and health communication.
 Responsible for the design and coordination of the awareness of campaigns for the prevention of cancer. Worked in Pharmaceutical Marketing and specializes in Brand Management and Communication. Author and Founder of Stop Cancer Portugal Project.