Rubricas

Doente oncológico: precauções para uma atividade física segura

Doente oncológico: precauções para uma atividade física segura

A prática de atividade física durante o tratamento oncológico é segura e traz benefícios.
Ajuda a manter ou a melhorar a capacidade física, melhora o equilíbrio contribuindo para diminuir o risco de quedas e de fraturas, diminui a fadiga, as náuseas, o risco de doença cardíaca, de osteoporose e de ansiedade e depressão, facilita a circulação sanguínea, diminui a dependência de terceiros, melhora a autoestima, ajuda no controlo do peso e melhora a qualidade de vida.

Quando tudo se desfaz

Quando tudo se desfaz

Vivemos tempos difíceis, diz-nos Pema Chodron.
Nesta sinopse do livro “Quando tudo se desfaz” de Pema Chodron, podemos perceber que esta é uma obra claramente útil e inspiradora para todos aqueles que pretendem refletir sobre a sua postura e perspectiva perante a vida e as suas dificuldades.

Leite materno: questões frequentes, respostas congruentes

Leite materno: questões frequentes, respostas congruentes

Está provado que os bebés alimentados ao peito têm menor probabilidade de infecção que os alimentados com fórmulas infantis. O leite materno contém nutrientes essenciais, anticorpos e outros fatores importantes para o crescimento do bebé que não podem ser substituídos. Esclarecemos algumas questões frequentes em relação ao leite materno. Existem vários tipos de leite materno?(…)

Em mês de prevenção, plante e colha pela sua mão!

Em mês de prevenção, plante e colha pela sua mão!

Outubro é o mês internacional para a prevenção do cancro da mama. Fazer prevenção é antes demais organizar a vida de modo a seguir hábitos saudáveis e, estes, passam por adquirir novos comportamentos ou por recuperar hábitos antigos. Plantar ervas aromáticas pode contribuir para começar a adotar um estilo de vida saudável. É uma atividade(…)

Consulta de nutrição e atividade física no tratamento oncológico

Consulta de nutrição e atividade física no tratamento oncológico

Tanto a cirurgia, como a radio e a quimioterapia podem alterar as necessidades nutricionais dos doentes, as quais variam consoante, por exemplo, a idade, o género, a atividade física, os tratamentos e a fase da doença. A determinação das necessidades nutricionais tem por base uma correta avaliação do estado nutricional, por um profissional da área(…)

O meu “eu” e o meu corpo

O meu “eu” e o meu corpo

Antes do cancro, o mundo era algo diferente. Era como se eu estivesse a viver numa albufeira e o cancro dinamitou a barragem que me separava de um grande oceano. Agora, estava a nadar nele. Neste emocionante depoimento a poetisa, escritora e ativista pelos direitos das mulheres, Eve Ensler fala sobre a sua relação com(…)

Iodo: suplementação materna no período pós parto

Iodo: suplementação materna no período pós parto

Uma das preocupações da mãe é garantir que o leite oferecido ao seu bebé é suficientemente rico para que o lactente aumente de peso adequadamente.
De forma a contribuir para a ingestão apropriada de iodo há, naturalmente, que assegurar uma alimentação variada, incluindo alimentos que, habitualmente, são fontes de iodo, em particular: pescado, leguminosas e hortícolas e, ainda, leite e outros produtos lácteos. Recomenda-se, também, a substituição do sal comum por sal iodado.

Consumo de toranja na quimioterapia

Consumo de toranja na quimioterapia

O consumo de toranja tem sido associado a várias atividades potencialmente benéficas para a saúde, incluindo a proteção contra danos do ADN. No entanto, atualmente, sabe-se que a toranja e outros frutos cítricos podem interagir com mais de 85 medicamentos, entre os quais estão aqueles usados durante a quimioterapia. Esta interação pode ocorrer aumentando a(…)

Quando não sei dizer o que sinto

Quando não sei dizer o que sinto

Todos nós, eventualmente, já teremos passado por momentos na vida em que fomos tomados por emoções de tal modo avassaladoras que nem conseguimos descrever por palavras o que sentimos. Contudo, para algumas pessoas esta dificuldade em descrever por palavras as suas emoções é de tal modo presente que se pode considerar uma verdadeira dificuldade descrita por Jonhn Nemiah e Peter Sifneos, nos anos 70, com o termo de alexitimia.