Cérebro e obesidade: há relação, diz a ciência!

Qual é a relação entre o funcionamento do cérebro e obesidade? E o que diz a ciência sobre isso?

Tudo indica que a sua barriga e o seu cérebro falam um com o outro.
Já há provas científicas substanciais de que a obesidade é uma doença influenciada pela genética e pelo meio ambiente. Além disso, foi descoberta uma molécula no cérebro e no intestino que ajuda a controlar o apetite. Esse achado recente pode potencialmente ajudar a promover uma perda de peso saudável para aqueles que vivem com obesidade.

Muitas pessoas dentro e fora da comunidade médica acreditam que a obesidade não é uma doença, mas apenasuma situação provocada por excesso de comida e falta de exercício. Na verdade, também muitas pessoas que vivem com obesidade pensam o mesmo. Acreditam que o seu peso é 100% culpa delas, perdem a sua auto-estima e sentem vergonha pela relação que têm com a comida.  

obesidade é uma doença. É uma doença crónica e não é uma escolha que se faz para a vida. Da genética ao meio ambiente, são muitos os fatores que desempenham um papel no desenvolvimento do excesso de peso e da obesidade, e que se repercute na capacidade de perder e ganhar peso. E as experiências das pessoas que vivem com obesidade são muito variadas e complexas.

Os genes dos seres humanos não têm vindo a sofrer alterações desde há décadas. E só recentemente é que a obesidade se tornou num problema gigante. Como explicamos isso?
O aspeto mais óbvio é a alimentação, especialmente a disponibilidade de produtos alimentares excessivamente ricos em calorias. Está pronta comer e disponível em qualquer lugar. É extremamente fácil e barato ingerir a quantidade total de calorias necessárias para um dia através de uma única refeição de fast-food e um refrigerante.
Se os genes têm o seu papel, o ambiente em que vivemos tem uma responsabilidade enorme. A superabundância de calorias que se observa atualmente é um contexto novo e, para o qual, os genes humanos ainda não estão adaptados. Entre abundância e escassez, a seleção genética preparou o corpo humano para a escassez.

Mads Tang-Christensen é doutorado em neuroendocrinologia integrativa pela Universidade de Copenhagen e dedica-se ao estudo da obesidade para ajudar as pessoas que vivem com obesidade. O seu objetivo de investigação concentra-se em compreender alguns aspetos sobre a alimentação: por que comemos, quando comemos, quanto comemos e qual é a razão e como é que a nossa individualidade corporal (a composição genética de casa um) responde de maneira diferente à mesma comida e ao mesmo ambiente.

Mads Tang-Christensen procura responder a uma questão, agora global: Se a obesidade é uma doença, como é que a evitamos, a tratamos ou até a curamos?
Para ele, a resposta pode estar no cérebro. O seu estudo sobre o cérebro levou-o a molécula sinalizadora que é produzida tanto nos intestinos como no cérebro. O cérebro comunica com os intestinos e os intestinos comunicam com o cérebro, isto é barriga e cérebro estão literalmente conectados.

Assista agora ao vídeo educativo de Mads Tang-Christensen disponibilizado pelo canal TED com explicações em pormenor sobre a relação entre cérebro e obesidade.

Créditos da imagem de Ehimetalor Akhere Unuabona on Unsplash

Margarida Vieira, nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição (FCNAUP-1991), mestre em Nutrição Clínica (ISCSEM-2008). Doutorada em Estudos da Criança, na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a cédula profissional nº 0052N. Investigadora na Fundação para a Ciência e Tecnologia (2011-2015). Membro do Centro de Investigação em Estudos da Criança – CIEC. Desenvolve a sua atividade na Investigação e na área da Nutrição Clínica. É autora e coordenadora de projectos de prevenção primária na área da saúde, bem como na organização e dinamização de seminários sobre hábitos alimentares saudáveis, predominantemente em ambiente escolar. Os seus atuais interesses de investigação, são no domínio da promoção e da comunicação para a saúde, na prevenção do cancro e de outras doenças crónicas. Responsável pela conceção e coordenação de campanhas para a prevenção do cancro. Trabalhou no Marketing Farmacêutico e especializou-se em Gestão e Comunicação da Marca (IPAM – 2003). Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal, adotar um estilo de vida saudável. Usa o novo acordo ortográfico. Margarida Vieira, nutritionist, is PhD in Child Studies of the University of Minho. Member collaborator of the Research Centre for Child Studies - CIEC. 
She is author and coordinator of projects for primary prevention in health care as well as in the organization and promotion of workshops on healthy eating habits in the schools. Her current research interests are cancer prevention and other chronic diseases and health communication.
 Responsible for the design and coordination of the awareness of campaigns for the prevention of cancer. Worked in Pharmaceutical Marketing and specializes in Brand Management and Communication. Author and Founder of Stop Cancer Portugal Project.