Doença de Ménière: das causas ao tratamento

A doença de Ménière, também chamada de hidropisia endolabiríntica, é uma patologia do ouvido interno que afeta a audição e o equilíbrio.
Esta doença foi descoberta pelo médico francês Prosper Ménière, que a relatou, pela primeira vez, num artigo publicado em 1861.

Caracteriza-se por episódios de vertigem, zumbido e sensação de ouvido cheio. Muitas vezes também é acompanhada por náuseas e vómitos. Os episódios podem durar de 20 minutos a 12 horas. Esta doença está associada a perda auditiva neurossensorial unilateral flutuante, começando normalmente nas baixas frequências, podendo progredir para as outras frequências.

O interior do ouvido interno é banhado por líquidos, a endolinfa e a perilinfa. A composição da endolinfa é rica em potássio e pobre em sódio. No entanto, pode existir um desequilíbrio nestas concentrações, aumentando o sódio, dando lugar a um aumento da pressão da endolinfa, chamada hidropisia endolabiríntica.

A hidropisia pode acontecer devido a diversos fatores, como alterações metabólicas, infeções virais, alergias, problemas vasculares ou hormonais, doenças autoimunes, entre outros.

Quando diagnosticada pela primeira vez, a doença de Ménière afeta apenas um ouvido. No entanto, cerca de 50% das pessoas continua a desenvolver a doença, atingindo os dois ouvidos. É prevalente entre os 40 e os 60 anos, aumentando o risco com a idade. Afeta com maior frequência as mulheres.

O diagnóstico deve ser feito pelo médico otorrinolaringologista através da avaliação dos sintomas e da história clínica. Os testes de diagnóstico mais importantes são o audiograma (para avaliação auditiva) e a eletrococleografia (para avaliação da hidropisia endolabiríntica). Testes de imagiologia (tomografia computorizada ou ressonância magnética), normalmente apresentam-se normais.

O objetivo do tratamento é prevenir e reduzir a severidade e a frequência das crises. Como tratamento medicamentoso existem os diuréticos e os corticosteroides. Paralelamente, recomenda-se uma dieta pobre em sal e aumento do consumo de potássio, encontrado em muitas frutas e grãos. É importante que o organismo retenha menos água, diminuindo assim a quantidade de líquidos no ouvido interno, que podem provocar o aparecimento das vertigens e do enjoo. Pode, ainda, ser necessário medicação para aliviar as náuseas e a ansiedade associadas. É, ainda, aconselhada a diminuição do consumo de álcool, cafeína e nicotina, pois são substâncias agressivas para as estruturas do ouvido. Uma alimentação equilibrada, prática de exercício físico e sono adequado podem também ajudar a reduzir as crises. Situações stressantes devem ser evitadas, dado que podem estimular negativamente o sistema nervoso, desencadeando novas crises.

Quanto à reabilitação desta doença, ela incide na terapia de reabilitação vestibular, visando o reforço do equilíbrio. Podem ser recomendados exercícios para os momentos de crise que ajudam a diminuir os sintomas de tontura e desequilíbrio, melhorando a sensibilidade ao movimento e a segurança da pessoa.

Caso a audição esteja comprometida, é necessária, na maior parte das vezes, a reabilitação auditiva com recurso a próteses auditivas, ou até implante coclear.

Referência: Basura, G.J et al. Clinical Practice Guideline: Ménière’s Disease. Otolaryngology–Head and Neck Surgery,2020 April 8. doi: 10.1177/0194599820909438. Créditos de imagem: https://www.neurologico.com.br/site2016/wp-content/uploads/2019/01/imagm-2.png

Fernanda Gentil é Audiologista na Clínica ORL Dr. Eurico Almeida e Coordenadora da Widex Centros Auditivos – Porto. Licenciada em matemática aplicada – ramo de ciência de computadores, pela FCUP. Professora Adjunta do curso de Audiologia, na ESS do Porto. PhD em Ciências de Engenharia pela FEUP. Investigadora e orientadora de teses de Mestrado e Doutoramento, na FEUP. Os seus principais interesses relacionam-se com a Audiologia e Reabilitação Auditiva, assim como simulações matemáticas de modelos computacionais do ouvido. Fernanda Gentil is Audiologist at the ORL Clinic Dr. Eurico Almeida and Coordinator of Widex-Porto. Degree in Applied Mathematics - Computer Science, FCUP. Audiology Professor at ESS, Porto. PhD in Engineering Sciences, FEUP. Researcher and advisor of Master's and PhD theses at FEUP. His main interests are related to Audiology and Auditory Rehabilitation, as well as mathematical simulations of computational models of the ear.