Modernizar a produção de carne: alimentar o futuro

Em termos globais o consumo de carne é agora o maior de todos os tempos.
Cada norte-americano come em média 90 quilos de carne por ano. Em Portugal o consumo de carne atingiu a média de 43 quilos por português por ano, segundo o Inquérito Alimentar Nacional de 2015/16.

Pela trajetória global do crescimento da população e dos seus hábitos de consumo, a previsão da ONU aponta para que precisaremos de produzir entre 70 a 100% de mais carne até 2050.

Alimentar 7,6 bilhões de pessoas no mundo está a causar sérios danos ao planeta e os recursos estão a esgotar-se com os ecossistemas terrestres e marinhos a desaparecerem.
Podemos considerar que estamos perante uma tarefa bastante complexa como sociedade: gerir o suprimento global de proteínas enquanto é fundamental proteger o meio ambiente, para promover a saúde global e a segurança alimentar ao mesmo tempo que é necessário agir na prevenção dos maus tratos aos animais com a produção intensiva.

Bruce Friedrich é cofundador e diretor executivo do The Good Food Institute uma organização internacional sem fins lucrativos que trabalha para acelerar a inovação de proteínas alternativas à base de plantas e células que podem em breve transformar a indústria global de carne para promover um sistema agrícola sustentável, saudável e justo.

Bruce Friedrich está a inovar o setor alimentar com a produção de carne, ovos e laticínios à base de vegetais e células, para criar alternativas com o mesmo sabor ou melhor e a custarem menos. A sua ideia é: ao modernizar a produção de carne com carne vegetal para que seja possível mitigar o impacto ambiental do sistema alimentar, diminuir o risco de doenças zoonóticas e, por fim, alimentar mais pessoas com menos recursos.

Conheça agora as ideias de Bruce Friedrich ao assistir à sua palestra no canal TED. E faça a sua parte: coma menos carne.

Fontes: https://fronteirasxxi.pt/infografiaalimentacao/

Margarida Vieira, nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição (FCNAUP-1991), mestre em Nutrição Clínica (ISCSEM-2008). Doutorada em Estudos da Criança, na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a cédula profissional nº 0052N. Investigadora na Fundação para a Ciência e Tecnologia (2011-2015). Membro do Centro de Investigação em Estudos da Criança – CIEC. Desenvolve a sua atividade na Investigação e na área da Nutrição Clínica. É autora e coordenadora de projectos de prevenção primária na área da saúde, bem como na organização e dinamização de seminários sobre hábitos alimentares saudáveis, predominantemente em ambiente escolar. Os seus atuais interesses de investigação, são no domínio da promoção e da comunicação para a saúde, na prevenção do cancro e de outras doenças crónicas. Responsável pela conceção e coordenação de campanhas para a prevenção do cancro. Trabalhou no Marketing Farmacêutico e especializou-se em Gestão e Comunicação da Marca (IPAM – 2003). Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal, adotar um estilo de vida saudável. Usa o novo acordo ortográfico. Margarida Vieira, nutritionist, is PhD in Child Studies of the University of Minho. Member collaborator of the Research Centre for Child Studies - CIEC. 
She is author and coordinator of projects for primary prevention in health care as well as in the organization and promotion of workshops on healthy eating habits in the schools. Her current research interests are cancer prevention and other chronic diseases and health communication.
 Responsible for the design and coordination of the awareness of campaigns for the prevention of cancer. Worked in Pharmaceutical Marketing and specializes in Brand Management and Communication. Author and Founder of Stop Cancer Portugal Project.