Atividade física e tempo sedentário: conheça as novas diretrizes da OMS

As diretrizes para a prática de atividade física e tempo sedentário da Organização Mundial de Saúde, são recomendações definidas após exaustiva revisão da literatura científica. O objetivo é contribuir para a alteração de politicas de saúde pública, para a melhoria da saúde das populações.

As últimas diretrizes, publicadas em 2010, foram atualizadas recentemente, no fim de 2020. No documento publicado podemos encontrar recomendações relativas à prática de atividade física, e atualmente também relativas ao tempo sedentário. Neste artigo falaremos das recomendações para crianças e adolescentes e para a gravidez e pós-parto.

Atividade Física e tempo sedentário: crianças e adolescentes

Para as crianças e adolescentes a atividade física inclui: jogos, desporto, educação física ou exercício planeado, deslocações e recreação, em qualquer contexto.

Como para qualquer faixa etária, os benefícios da atividade física para as crianças e adolescentes são muitos: melhoria da função cardiorespiratória e muscular, melhora da saúde cardiometabólica, saúde óssea, melhoria da performance académica, benefícios para a saúde mental e redução da adiposidade.

Recomendações: uma média de 60 minutos/dia de atividade física moderada a vigorosa, maioritariamente aeróbica. Atividades aeróbicas de intensidade vigorosa assim como atividades de fortalecimento muscular, devem ser incluídas no mínimo 3 vezes/semana.

Tempo sedentário: Todas as atividades sedentárias devem ser reduzidas, em particular, o tempo de ecrã para fins recreativos. Elevado tempo sedentário está associado a aumento da adiposidade, pior saúde cardiometabólica, menor duração do sono.

É importante considerar:

  • Alguma atividade física é melhor do que nenhuma atividade física.
  • O aumento da intensidade e da frequência da atividade física deve ser gradual.
  • Escolher uma atividade física de que se goste e que seja adequada para a idade e condição física, é essencial.

Atividade Física e tempo sedentário: gravidez e pós-parto

A prática atividade física e a intensidade mais adequada para cada mulher, durante a gravidez e após o parto, deve ser avaliada pelos profissionais de saúde que acompanham a gravidez e o pós-parto.

De uma forma geral, a atividade física nestas fases do ciclo de vida, é recomendada e inclui exercício programado mas também: atividade física em atividades de recreação e lazer, deslocações, tarefas domésticas, entre outras.

A atividade física durante a gravidez e no pós-parto tem inúmeros benefícios, sem aumento do risco de mortalidade fetal ou impacto negativo no peso ao nascer, tais como redução do risco de: pré-eclampsia, hipertensão gestacional, diabetes gestacional, ganho excessivo de peso durante a gravidez, complicações no parto e pós-parto e complicações para o recém-nascido.

Quando na ausência de contraindicações, as recomendações são:

  • mantenha-se fisicamente ativa durante a gravidez e após o parto
  • faça no mínimo 150 minutos/semana de atividade física aeróbica de intensidade moderada
  • inclua atividades aeróbicas e de fortalecimento muscular
  • alongamentos suaves também podem ser benéficos
  • alguma atividade física é melhor do que nenhuma atividade física
  • o aumento da intensidade e da frequência da atividade física deve ser gradual

Se a prática de atividade física de intensidade vigorosa era habitual antes da gravidez, esta pode ser mantida durante a gravidez e pós-parto, depois de uma avaliação por parte da equipa multidisciplinar que acompanha a mulher.

O tempo sedentário, para esta população, define-se como tempo passado sentada ou deitada com muito baixo dispêndio energético, enquanto acordada.

O elevado sedentarismo está associado a maiores complicações, sendo por isso recomendado que mulheres grávidas ou em período pós-parto, limitem o tempo sedentário, substituindo-o por atividade física de qualquer intensidade.

Referências: World Health Organization. (2020). WHO guidelines on physical activity and sedentary behaviour. World Health Organization. Crédito da imagem: Sasin Tipchai por Pixabay

Inês Correia

Inês Almada Correia, nutricionista (3684N), pós-graduada em Nutrição em Oncologia pela Universidade Católica Portuguesa, frequenta o mestrado em Bioquímica Médica da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Tem colaborado com a Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) em ati (...)