Microbiota intestinal e os primeiros 1000 dias de vida

Os primeiros 1000 dias de vida representam o período no qual se define o que será a microbiota intestinal do adulto. Os primeiros 1000 dias de vida compreendem o período entre a conceção e os primeiros 2 anos de vida e é, nesta altura, que se modulam os alicerces da saúde para toda a vida.

A microbiota intestinal começa a definir-se antes do nascimento, havendo evidência cientifica sugestiva de que a sua programação se inicie durante o desenvolvimento fetal. Na altura do nascimento, o tipo de parto, a idade gestacional na altura do parto, o uso de antibióticos durante e após a gestação e a amamentação ou a sua ausência, são fatores determinantes para o desenvolvimento das bactérias que farão parte da microbiota intestinal da criança. A microbiota intestinal de crianças amamentadas exclusivamente até aos 6 meses é diferente da de crianças alimentadas com fórmula infantil. E estas diferenças mantêm-se mesmo após a diversificação alimentar.

Ao fim do 1º ano de vida, a microbiota intestinal já se assemelha à de um adulto, com prevalência das bactérias Bacteroides e Firmicutes e baixa abundância de Proteobactérias e bactérias gram negativas aeróbias. Será entre os 2 e os 4 anos que ficará definida aquela que será a microbiota intestinal de um adulto e que se manterá estável por cerca de 70 anos.

Microbiota intestinal: factores influenciadores

Apesar de ainda existirem interrogações em relação aos fatores que determinam o perfil da microbiota intestinal nos primeiros anos de vida, os seguintes fatores parecem ter influência:

  •  Uso de antibióticos. Os antibióticos são usados no tratamento de infeções bacterianas e o seu uso tem impacto nas bactérias que colonizam o intestino.
  • Localização geográfica, diretamente associada ao tipo de alimentação e aos hábitos culturais. Alguns estudos têm identificado diferenças nas bactérias mais prevalentes na microbiota intestinal de crianças de diferentes localizações geográficas.
  • Presença de animais domésticos.
  • Fatores genéticos do hospedeiro. Alguns estudos têm demonstrado que a expressão de alguns genes influencia a constituição da microbiota intestinal.
  • Alimentação. O início da diversificação alimentar está associada à diversificação da microbiota intestinal. Por outro lado, o impacto positivo que a ingestão de fibra e que os ácidos gordos polinsaturados n-3, têm na modulação da inflamação através da modulação da microbiota intestinal, tem sido largamente documentado.
  • Uso de probióticos. Os probióticos definem-se como microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde do hospedeiro.
    O uso de probióticos com bactérias como as Saccharomyces boulardii, Lactobacillus rhamnosus GG, Lactobacillus reuteri e Bifidobacterium animalis lactis, poderá ser benéfico na prevenção e gestão de algumas patologias pediátricas. Estas situações incluem diarreia e prevenção de infeções, prevenção de alergias, prevenção de cólicas, prevenção de enterocolite necrotizante em prematuros. A pertinência do uso de probióticos, deverá ser sempre avaliada pelo pediatra que acompanha a criança.
Referências: Zhuang L, Chen H, Zhang S, Zhuang J, Li Q, Feng Z. Intestinal Microbiota in Early Life and Its Implications on Childhood Health. Genomics Proteomics Bioinformatics. 2019;17(1):13-25. Noriega BS, Sanchez-Gonzalez MA, Salyakina D, Coffman J. Understanding the Impact of Omega-3 Rich Diet on the Gut Microbiota. Case Rep Med. 2016;2016:3089303. Adak A, Khan MR. An insight into gut microbiota and its functionalities. Cell Mol Life Sci. 2019;76(3):473-493. Kerr CA, Grice DM, Tran CD, et al. Early life events influence whole-of-life metabolic health via gut microflora and gut permeability. Crit Rev Microbiol. 2015;41(3):326-340. Selma-Royo M., Tarrazó M., García-Mantrana I., Gómez-Gallego C., Salminen S., Collado M.C. Shaping Microbiota During the First 1000 Days of Life. In: Guandalini S., Indrio F. (eds) Probiotics and Child Gastrointestinal Health. Advances in Experimental Medicine and Biology, vol 1125. Springer, Cham. 2019. De Filippo C, Cavalieri D, Di Paola M, et al. Impact of diet in shaping gut microbiota revealed by a comparative study in children from Europe and rural Africa. Proc Natl Acad Sci U S A. 2010;107(33):14691-14696. Crédito da imagem: OpenClipart-Vectors por Pixabay

Inês Correia

Inês Almada Correia, nutricionista (3684N), pós-graduada em Nutrição em Oncologia pela Universidade Católica Portuguesa, frequenta o mestrado em Bioquímica Médica da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Tem colaborado com a Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) em ati (...)