Yoga durante o cancro da mama em doentes e sobreviventes

Sendo o cancro de mama o mais frequente entre as mulheres e com a constante divulgação sobre a influência do yoga durante o cancro,  é importante rever a informação até agora disponível. A conceituada revista BMC Cancer fez uma análise sobre todos os aspetos de investigação no cancro, incluindo a fisiopatologia, a prevenção, o diagnóstico e o tratamento e a prática de yoga. O objetivo desta avaliação sistemática incidiu nas evidências dos efeitos do yoga na qualidade de vida, na saúde em geral e na saúde psicológica dos doentes e sobreviventes de cancro de mama.

A grande maioria dos doentes cancro apresentam efeitos colaterais durante o tratamento, sentindo uma redução da qualidade de vida, que pode persistir mesmo após o término do tratamento. Depressão e ansiedade são as queixas psicológicas mais comuns, tais como angústia, ansiedade e/ou incapacidade de lidar com o stress, quer pelos sintomas da doença, como pelos tratamentos realizados, além da espera dos resultados de exames e tratamentos. Um em cada três doentes com cancro da mama é diagnosticado com sofrimento psicológico. Os problemas psicossociais podem agravar o quadro de sintomas e afetar seriamente a qualidade de vida: bem-estar físico, mental, espiritual e apoio social.

O yoga é uma das terapias alternativas mais comuns a que os doentes recorrem. A sua prática inclui uma filosofia de conselhos para um estilo de vida mais ético, o encontro consigo mesmo e a prática de posturas físicas, com a objetivo final de unir mente, corpo e espírito. Estima-se que 15 milhões de adultos americanos tenham praticado yoga pelo menos uma vez na vida, e quase metade dos americanos praticam para lidar com doenças ou promover a saúde.

Quais são os efeitos gerais da sua prática?

  1. Qualidade de vida relacionada com saúde: existem evidências de haver um efeito moderado a curto prazo do yoga na qualidade da saúde e também existem efeitos significativos a curto prazo em grupos de yoga a nível funcional, social e bem-estar espiritual.
  2. Saúde psicológica: há evidências de grandes efeitos a curto prazo para a ansiedade, a depressão, stress e sofrimento psicológico.

Em resumo, apesar do curto período de tempo da análise, o yoga deve ser considerado uma opção adjuvante para o tratamento no cancro de mama. Atualmente, estão a realizar-se estudos mais consistentes sobre yoga com doentes com cancro de mama nos principais centros de tratamento do cancro nos Estados Unidos que certamente irão adicionar novas evidências.

Os efeitos positivos do yoga já conhecidos deveriam justificar a sua prática e ser particularmente recomendada como uma intervenção para melhorar a saúde psicológica, durante o tratamento ativo do cancro de mama.

Referência: Cramer, H., Lange, S., Klose, P., Paul, A., & Dobos, G. (2012). Yoga for breast cancer patients and survivors: a systematic review and meta-analysis. BMC cancer12(1), 412. Fonte da imagem: https://www.noticiasaominuto.com/lifestyle/1215657/deixe-se-deslumbrar-pelas-fascinantes-paisagens-africanas

Alexandra Pereira

Alexandra Pereira, professora de yoga através da AIPYS-Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda, Espanha 2000. Licenciada em Filosofia (FLUP 1988). Mestrado em Filosofia: “A filosofia do yoga: da prática a uma filosofia de vida” ( FLUP 2019) Exerce a sua actividade profissi (...)