Cancro da Bexiga: reduza o risco

O cancro da bexiga é o oitavo mais prevalente no Mundo, com 549 393 casos em 2018, com a maioria dos casos (36,2%) a registar-se no continente asiático e no continente europeu (35,9%). É um cancro mais frequente em homens que em mulheres e em idade avançada. Em Portugal registaram-se 2340 novos casos em 2018.

Quanto aos fatores de risco, à semelhança do que acontece para diversos outros tipos de cancro, fumadores têm seis vezes maior probabilidade de desenvolver cancro da bexiga que aqueles que nunca fumaram. Há também a considerar os fatores ocupacionais, como a exposição a compostos químicos frequentemente usados nas indústrias química e do plástico.

A ingestão de água contaminada com arsénico é uma fator de risco para o desenvolvimento de cancro da bexiga. O arsénico e seus compostos derivados, estão classificados como agentes carcinogénicos de classe 1 pela International Agency for Research on Cancer. A contaminação da água poderá ocorrer através de depósitos naturais no solo, resultantes de práticas industriais e de agricultura.

O relatório do World Cancer Research Fund aponta a ingestão de vegetais e fruta como um fator para a redução do risco deste tipo de cancro. A evidência é no entanto limitada e por isso mais estudos serão necessários para confirmar esta associação.

As recomendações para redução do risco de desenvolver cancro da bexiga são as recomendações gerais para a prevenção do cancro. Tome nota:

– Reduza a ingestão semanal de carne vermelha para 350 – 500g (peso após confeção) e apenas ingira carnes processadas esporadicamente.
– Mantenha um peso adequado para a sua idade e estatura, limitando a ingestão de bebidas açucaradas e de alimentos ricos em açúcares de absorção rápida.
– Limite a ingestão de bebidas alcoólicas.
– Pratique um mínimo de 75 minutos de atividade física intensa ou 150 minutos de atividade física moderada por semana. A atividade física contribui para a manutenção de um peso saudável, por isso reduza os tempos sedentários e pratique uma atividade física que goste de forma regular.
– Aumente a ingestão de alimentos ricos em fibra como cereais integrais, oleaginosas, leguminosas e ingira um mínimo diário de 5 porções de vegetais e fruta (equivalentes a 400g).

Referências: Global Cancer Observatory (http://gco.iarc.fr/), International Agency for Research on Cancer 2018. World Cancer Research Fund/American Institute for Cancer Research.Continuous Update Project Expert Report 2018.Diet, nutrition and physical activity and bladder cancer. Available at dietandcancerreport.org.. Crédito das imagens: medscape.com

Inês Correia

Inês Almada Correia, nutricionista, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas 3684N, pós- graduada em Nutrição em Oncologia pela Universidade Católica Portuguesa. Tem colaborado com a Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) em atividades, tais como workshops sobre alimentação direc (...)