O nutricionista no acompanhamento do doente oncológico

O papel de um nutricionista no acompanhamento do doente oncológico, tem tanto de importante como de abrangente.

Uma nutrição adequada no contexto da doença oncológica, permite a manutenção da autonomia do doente nas atividades diárias, com bons níveis de energia, tendo também impacto durante os tratamentos, já que um pior estado nutricional está frequentemente associado a maiores toxicidades e a maiores tempos de internamento.

O aconselhamento nutricional individualizado é o meio mais eficaz para assegurar a ingestão adequada de nutrientes. É aqui que o nutricionista intervém. A adaptação da dieta às necessidades nutricionais individuais, tendo em conta o tipo de cancro e o seu impacto na capacidade do doente se alimentar, assim como na capacidade do organismo metabolizar os alimentos, considerando o momento do tratamento em que se encontre, permite delinear estratégias que assegurem uma melhor nutrição.

Alguns efeitos secundários frequentes dos tratamentos de quimio e radioterapia são: redução do apetite, nauseas, vómitos, dor na deglutição, alteração do paladar, obstipacompanhamento do doente oncológico,ação, diarreia, entre outros. Na presença destes e de outros sintomas, será necessário otimizar as refeições de forma a assegurar a ingestão alimentar adequada, podendo recorrer-se a suplementos nutricionais orais ou outras formas de nutrição artificial, em situações que o justifiquem.

A intervenção nutricional atempada, permite prevenir quadros de desnutrição que poderão influenciar o resultado dos tratamentos, a recuperação e até o prognóstico da doença.
Para além da componente fisiológica, a componente social das refeições não deve ser esquecida, uma vez que reduz o isolamento do doente, facilitando momentos de convívio e de descontração, tão importantes num período em que muitas das rotinas habituais são alteradas.

Numa altura em que as consultas de nutrição são ainda quase exclusivamente associadas à perda de peso, vale a pena lembrar que ser acompanhado por um nutricionista após o diagnóstico de cancro, fará a diferença na qualidade de vida do doente.

Referências: Arends J.ESPEN guidelines on nutrition in cancer patients.Clin Nutr. 2017 Feb;36(1):11-48. Ravasco P. Nutrition in Cancer.Nestle Nutr Inst Workshop Ser. 2015;82:91-102. Lee JLC. Nutrition intervention approaches to reduce malnutrition in oncology patients: a systematic review.Support Care Cancer. 2016 Jan;24(1):469-480. Crédito das imagens: Dakota Dietitians e beaumont.org

Inês Correia

Inês Almada Correia, nutricionista, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas 3684N, pós- graduada em Nutrição em Oncologia pela Universidade Católica Portuguesa. Tem colaborado com a Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) em atividades, tais como workshops sobre alimentação direc (...)