Yoga e qualidade de sono no cancro

Poderá a prática de yoga melhorar a qualidade de sono nos doentes com cancro, durante e pós-tratamento?

Um estudo publicado no Journal of Clinical Oncology, indica que sim. Esse estudo permitiu verificar não só a qualidade do sono, mas também a melhoria da qualidade da vigília, da eficiência do sono, como também na redução da medicação necessária para garantir a qualidade de sono.

Cerca de 30% a 90% dos sobreviventes de cancro relatam passar a ter uma má qualidade de sono após o tratamento. A ausência de qualidade no sono pode ser grave o suficiente, para aumentar a morbidade e a mortalidade. Por isso, são recomendadas alterações ao estilo de vida, como a prática de exercício conjuntamente com,medicação e terapia comportamental cognitiva no tratamento do sono.

Há evidências preliminares de que o yoga, uma prática que inclui, exercício físico, controlo da mente e da respiração, assim como a prática de relaxamento e meditação, podem melhorar a qualidade de sono nos sobreviventes de cancro.

Foi realizado um ensaio clínico randomizado e controlado com o objetivo de determinar a eficácia de uma intervenção padronizada de yoga, em comparação com os cuidados padrão na melhoria da qualidade do sono global em sobreviventes no pós-tratamento. Selecionaram-se aleatoriamente  410 sobreviventes de cancro (96% do sexo feminino; idade média de 54 anos; 75% tinham cancro da mama),que sofreram de moderada ou grande perturbação do sono entre 2 e 24 meses após cirurgia, quimioterapia e/ou radioterapia.

Estes indivíduos foram divididos em dois grupos. Um grupo seguiu o tratamento padrão, o outro grupo seguiu o tratamento padrão adicionado a uma prática regular de yoga durante 4 semanas. O grupo de yoga usou o programa de Yoga para Sobreviventes de Cancro (YOCAS), projetado por pesquisadores da Universidade de Rochester Medical Center. Este programa é composto pela prática de pranayama (exercícios respiratórios), 16 asanas (posturas) de yoga e meditação. Os indivíduos participaram em duas sessões de 75 minutos por semana. A qualidade do sono foi avaliada através do Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh e por actigrafia, antes e depois do programa.

O grupo dos indivíduos do programa de yoga mostraram um aumento na melhoria da qualidade do sono global e na qualidade subjetiva do sono, na disfunção diurna, no início da vigília, na eficiência do sono e uso de medicação na pós-intervenção, comparativamente ao grupo do tratamento padrão.

O grupo do tratamento padrão apresentou um aumento no uso de medicação para dormir e relatou uma redução da qualidade do sono, maior fadiga e pior qualidade de vida.

Karen Mustian, a investigadora principal e professora assistente do estudo, considera que o “yoga é uma técnica segura e simples que pode ter múltiplos benefícios para os sobreviventes que estão procurando soluções.”

Também adianta que a combinação da respiração, posturas e atenção plena durante a prática suave de yoga, individualmente ou em grupo, contribuem para melhorar o sono, a fadiga e a qualidade de vida. Ainda sobre o estudo afirma: “Também é possível que o programa YOCAS® trabalhe através de muitos caminhos biológicos, psicológicos e sociais simultaneamente”,acrescentando que o stress e a redução da ansiedade ajudam a perceber como relaxar.

Fontes de informação: Texto adaptado de http://ascopubs.org/doi/full/10.1200/JCO.2012.43.7707; https://www.urmc.rochester.edu/news/story/2866/urmc-study-yoga-improves-sleep-quality-of-life-for-cancer-survivors.aspx; Créditos da imagem: http://alemdocabelo.com/beneficios-do-yoga-durante-o-tratamento/#.W6doBddKjIU

Alexandra Pereira

Alexandra Pereira é professora de yoga certificada pela Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda (AIPYS), Espanha 2000. Licenciada em Filosofia (FLUP 1988) tem o Curso de osteopatia do Instituo Biomédico Hygea de Espanha (2005). Exerce a sua atividade profissional como professora (...)