Nós podemos, eu posso, reduzir o risco de cancro ao longo da vida

Share on Facebook76Share on Google+0Tweet about this on Twitter0

Nós podemos. Eu posso!  é a mensagem principal da campanha de sensibilização promovida pela União Internacional para o Controle do Cancro (UICC)  para celebrar a 4 de fevereiro o Dia Mundial do Cancro.

O Dia Mundial do Cancro é apenas um dia, mas o seu grande objetivo é motivar o maior número de pessoas a tomar medidas para a prevenção do cancro, reduzindo o aparecimento de novos casos.

O cancro não escolhe idades. Afeta todos os indivíduos, desde tenra idade até maiores de 80 anos. Por isso, as iniciativas de prevenção e de redução do risco do cancro devem acompanhar-nos ao longo da vida.

Cumprir algumas recomendações básicas contribuem para reduzir o risco de cancro ao longo da vida.

  • VIDA FETAL E INFÂNCIANós podemos. Eu posso!

Durante a gravidez, a mulher deve manter um peso e uma alimentação saudáveis, tendo especial atenção em reduzir a exposição a agentes cancerígenos.

A amamentação protege a mãe do risco futuro de cancro de mama e permite nutrir e proteger o bebé.

As crianças entre 1 a 2 anos, devem tomar a vacina da hepatite B, uma medida profilática para o cancro de fígado.

  • INFÂNCIANós podemos. Eu posso!

Uma alimentação saudável e atividade física regular, durante o crescimento e desenvolvimento na infância, são fundamentais para criar hábitos de vida saudáveis e reduzir o risco de cancro.

As crianças com menos de dez anos de idade devem estar protegidas da exposição solar prolongada, de substâncias cancerígenas como o fumo de cigarro e da poluição dos automóveis, e de produtos químicos: pesticidas e recipientes com Bisfenol-A (BPA).

As meninas entre os 9 e 13 anos devem ser vacinadas contra o HPV (papilomavírus humano).

Os pais, os professores, familiares e crianças devem estar informados sobre os sinais e sintomas do cancro em crianças pequenas, para a deteção precoce.

  • ADOLESCÊNCIANós podemos. Eu posso!

A adolescência é uma fase crítica, durante a qual são consolidados comportamentos favoráveis para a saúde na vida adulta. No entanto, os adolescentes estão mais vulneráveis a adotar comportamentos de risco como o consumo de tabaco e do álcool, e com um padrão alimentar pobre em fruta e vegetais, os maiores contribuidores do aumento do risco de desenvolver cancro.

Os programas de educação sexual ajudam a sensibilizar os adolescentes para reduzir a exposição ao HPV e ao HIV – dois fatores de risco para o desenvolvimento de cancro.

Atualmente, os adolescentes têm vindo a diminuir o nível de atividade física. Incentivar esta população jovem para manter bons níveis de atividade física, diariamente, pode ajudar a reduzir o risco de cancro.

  • VIDA ADULTA E IDADE AVANÇADANós podemos. Eu posso!

A partir dos 30 anos, as mulheres devem fazer o rastreio do cancro de colo do útero. Em Portugal, pode ser feito por meio de um teste de Papanicolau, que se repete de 3 em 3 anos.

Os fumadores apresentam alto risco de desenvolver cancro de boca, por isso devem ser examinados regularmente.

A partir dos 50 anos, homens e mulheres devem fazer uma colonoscopia para o rastreio do cancro colo-retal.

A partir dos 50 anos, as mulheres devem fazer uma mamografia, de 2 em 2 anos.

Reduzir o risco de cancro em momentos críticos, ao longo da vida, é procurar ajuda logo no início, acionando a deteção precoce. Nós podemos. Eu posso!

Fonte da informação: União Internacional para o Controle do Cancro (UICC).; Crédito das imagens: http://www.worldcancerday.org/materials 

Sobre Stop Cancer Portugal

Estar informado sobre como prevenir o cancro é o primeiro passo para garantir uma vida plena de saúde. Está pronto para começar? Concentre-se na prevenção, é saúde a longo prazo.