Alcaçuz, uma raiz-doce

Share on Facebook22Share on Google+0Tweet about this on Twitter

O alcaçuz é uma planta naturalmente doce, ideal para este tempo meio verão meio outono, em que ora estamos cheios de vitalidade ora estamos com o pingo no nariz e a dor de garganta.

Planta da família Fabaceae, o seu nome botânico é Glycyrrhiza glabra. O alcaçuz pode crescer até um metro de altura, com folhas em forma de pena, flores de uma cor púrpura ou de um azul pálido. As raízes são estoloníferas, quer dizer que apresentam caules aéreos finos que crescem horizontalmente originando novas plantas.

Com raízes ricas em glicirrizina, este composto confere o sabor adocicado ao alcaçuz e que é o responsável pela atividade hepatoprotetora, pela ação nos problemas gástricos e renais. O alcaçuz é rico em flavonóides que emitem uma atividade antiexpetorante, no alívio da tosse, além de outras atividades, como a anticancerígena e a anti-inflamatória.

Veja como é simples cultivar alcaçuz na sua mini horta de um metro quadrado ou se preferir em vasos:

  1. Instale por sementeira direta: adquira as sementes em qualquer loja de produtos agrícolas, ou faça mesmo uma compra online
  2. Coloque as sementes a uma profundidade de 3 cm, a uma distância de 30 a 40 cm entre plantas. No metro quadrado pode colocar 4 sementes, ou uma semente por vaso.
  3. A planta necessita de um solo bem drenado, fértil, rico em matéria orgânica, contudo é uma planta que se adapta a qualquer tipo de solo, desde que esteja minimamente preparado. Em dias mais frios deve recorrer às técnicas de proteção das plantas. Consulte o que pode fazer aqui. Relativamente à rega, esta deve ser feita diariamente, se justificar, isto porque a planta necessita de água moderadamente.
  4. A parte da planta que se utiliza é a raiz, normalmente deve ser colhida 2 a 3 anos após plantio.

A raiz doce do alcaçuz pode ser utilizada de diversas formas: numa infusão, mastigando a sua raiz, como adoçante na confeção de alguns doces.

Neste outono, comece por plantar o alcaçuz para aproveitar os seus benefícios doces.

Referências: Clevely Andy, Katherine Richmond. Manual completo de Plantas e Ervas Medicinais. Lisboa: Editorial Estampa; Devesh Tewari et al. Ethnopharmacological Approaches for Therapy of Jaundice: Part II. Highly Used Plant Species from Acanthaceae, Euphorbiaceae, Asteraceae, Combretaceae, and Fabaceae Families. Front Pharmacol. 2017. published online 2017 Aug 10. doi:  10.3389/fphar.2017.00519

Catarina Santos

Sobre Catarina Santos

Catarina Santos é licenciada em Dietética pela Escola Superior de Saúde de Leiria. Interessa-se pela área das Tecnologias de Produção Animal e Vegetal e pela Nutrição.