Agrihood: o conceito de quinta urbana

Share on Facebook35Share on Google+0Tweet about this on Twitter

Agrihood quer dizer quinta urbana. É um conceito recente de organização residencial que defende um novo modelo de vida em comunidade. Pretende-se que as urbanizações e os bairros residenciais sejam projetados para que sejam rodeados por quintas agrícolas e não por parques e campos de golfe dispendiosos.

The Cannery é um dos melhores exemplos daquilo que é uma “Agrihood” e onde é possível ter uma quinta urbana. Criada em agosto de 2015 e situada na Califórnia, por lá vive-se um estilo de vida diferente do comum.

Este empreendimento residencial foi programado para ser uma comunidade com 572 casas e a sua gestão está a cargo do Center Land-Based Learning.Este grupo sem fins lucrativos tem por missão, inspirar e educar futuras gerações de agricultores, de líderes agrícolas e de administradores de recursos naturais, para valorizar as quintas comunitárias de agroecologia.

Numa “Agrihood”, promove-se o consumo de alimentos frescos e cultivados por nós. Aqui, todos podem acompanhar o processo de produção até à colheita dos alimentos. Para isso, basta inscrever-se e receber semanalmente uma caixa da produção da quinta, quer participem ou não no processo de cultivo. Também um dos objetivos destas “Agrihoods” é produzir para distribuir aos consumidores fora da comunidade, estabelecendo assim o foco no consumo de produtos orgânicos de toda a população. As “Agrihoods” tornam-se emergentes por serem cada vez mais procuradas pelas pessoas que sentem a necessidade de estabelecer a ligação dos alimentos e sua preparação com a sua origem.

Quinta urbana: alimentos à porta de casa

Não é lógico, consumirmos alimentos cheios de agrotóxicos, quando podemos fazê-lo de forma orgânica, livre de modificações genéticas e produtos prejudiciais à saúde. Nestes empreendimentos têm isso à porta de casa. Não gastam dinheiro em transportes e tem a certeza daquilo que estão a consumir.

Este tipo de comunidade, muda completamente a relação que os moradores têm com a terra, principalmente as crianças. Há já alguns estudos que comprovam que as crianças que cultivam os seus próprios legumes têm uma maior tendência para os consumir. Trata-se de mais do que o simples cultivo de legumes, mas sim uma mais valia que harmoniza a vida em sociedade.

Fontes de informação: Brann, R., Byron, K., Graupmann, C. S., Kovach, J., Martin, M., & Tucker, E. Food Producers and Food Production. http://www.stylourbano.com.br/cresce-nos-eua-novo-modelo-de-comunidade-planejada-com-fazendas-comunitarias-chamado-agrihoods/.; http://landbasedlearning.org/cannery; https://livecannerydavis.com/: https://livecannerydavis.com/#urban-farm

Catarina Santos

Sobre Catarina Santos

Catarina Santos é licenciada em Dietética pela Escola Superior de Saúde de Leiria. Interessa-se pela área das Tecnologias de Produção Animal e Vegetal e pela Nutrição.