Olhos na Diabetes: celebrar o Dia Mundial da Diabetes 2016

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter

Olhos na Diabetes é o lema do Dia Mundial da Diabetes 2016, celebrado a 14 de novembro.
Segundo o International Diabetes Federation (IDF) estima-se que em 2035 o número de pessoas com diabetes no mundo atinja os 592 milhões, o que representa um aumento de 55% da população atingida pela doença. Portugal posiciona-se entre os países europeus que registam uma taxa mais elevada de prevalência da diabetes.

Todas as pessoas com diabetes estão em risco de perder a visão. A retinopatia diabética é a complicação oftalmológica de maior relevo causada pela diabetes mellitus. Esta patologia está presente tanto na diabetes tipo 1 como na diabetes tipo 2. Quando culmina em perda de visão é considerada trágica e constitui um importante fator de morbilidade de elevado impacto económico, uma vez que a retinopatia diabética é a causa mais frequente de cegueira adquirida na população economicamente ativa.

A retinopatia diabética é uma das complicações crónicas da diabetes, sendo a principal causa de cegueira ou diminuição visual, em adultos, nos países desenvolvidos. Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura (FAO) estima-se que, 20 anos após o diagnóstico de diabetes, 75% dos pacientes sofrerão de retinopatia diabética.

Até ao momento, ainda não foi encontrado nenhum agente farmacológico capaz de prevenir ou reverter a retinopatia diabética. Atualmente o tratamento disponível é a cirurgia por fotocoagulação, pelo que a melhor forma de tratamento passa primeiramente pela prevenção através de uma vigilância cuidadosa dos fatores de risco.

A progressão mais ou menos rápida da retinopatia diabética está associada a condições que o indivíduo não consegue controlar: a idade ou o tipo de diabetes. Mas também está dependente de outros fatores da sua inteira responsabilidade: a alimentação, a administração regular de medicação e um bom controlo metabólico. As pessoas que sofrem de diabetes também têm um risco aumentado de doença cardiovascular, doença vascular periférica e cerebrovascular. Estão envolvidos no desenvolvimento da diabetes, vários mecanismos patogénicos. Estes incluem mecanismos que destroem as células β do pâncreas com consequente deficiência de insulina e, outros que resultam na resistência à ação da insulina. As perturbações nos metabolismos glucídico, lipídico e proteico devem-se à deficiente ação da insulina nos tecidos alvo que resulta da insensibilidade ou falta de insulina. Sem esta hormona, o nosso corpo não obtém a energia que necessita.

A Organização Mundial de Saúde declarou a diabetes como o flagelo do século XXI. Uma doença filha do desenvolvimento urbano e das novas tecnologias, tem no excesso de peso o seu maior aliado. A diabetes alimenta-se dos maus hábitos, por isso como pode prevenir?

  1. Mantenha o peso adequado
  2. Tenha uma alimentação saudável
  3. Diminua ou abandone o consumo de bebidas alcoólicas
  4. Não fume
  5. Pratique atividade física
  6. Controle o sal
  7. Leia os rótulos dos produtos alimentares
  8. Evite o stress.
Fonte da informação: International Diabetes Federation (IDF); Sociedade Portuguesa Diabetologia; Organização Mundial de Saúde (OMS); Wellman, N. S., & Kamp, B. J. (2010). Nutrição e Edaísmo. In L. K. Mahan, & S. Escott-Stump, Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia (12ªedição ed., p. 295). Elsevier.
Sofia Costa

Sobre Sofia Costa

Sofia Costa é licenciada em Nutrição Humana e Qualidade Alimentar da Escola Superior Agrária de Castelo Branco. No futuro, gostaria de integrar um projeto que ajudasse a combater a fome no Mundo. Colabora ativamente no Stop Cancer Portugal desde abril de 2014.