Cuidados paliativos no cancro e o papel da fisioterapia

Share on Facebook95Share on Google+0Tweet about this on Twitter

Por cuidados paliativos entende-se a assistência oferecida a doentes e familiares quando estão perante uma patologia grave e sem cura, procurando minimizar os sintomas da doença.

Como o cancro é hoje uma doença que afeta uma grande percentagem da população mundial e muitos dos doentes oncológicos não possuem possibilidade de tratamento curativo, os cuidados paliativos prestam uma importante intervenção nestas situações.

Nestas intervenções, é importante um trabalho multidisciplinar, uma vez que nenhuma especialidade consegue abranger todas as necessidades no tratamento do doente terminal. A fisioterapia é uma área importante na equipa coletiva.

É importante preservar a mobilidade do doente paliativo, ajudar a diminuir a dor, aumentar a qualidade de vida, prevenir o aparecimento de novas deformações ou o agravamento de alterações já existentes. O fisioterapeuta pode trabalhar para dar funcionalidade e independência ao doente sempre que seja possível. Também pode realizar mudanças de decúbitos quando os doentes se encontram acamados de forma a evitar o aparecimento de úlceras, infeções ou problemas do foro respiratório.

Com a fisioterapia é possível voltar a reinserir o doente nas suas atividades e devolver-lhe a auto-estima e a confiança, ou seja, ajuda a direcioná-los para novos objetivos.

Referências: Fernando Cesar Iwamoto Marcucc, Physiotherapy on palliative care with cancer patients, 2004; Santiago-Palma J, Payne R. Palliative care and rehabilitation. Cancer. 2001;92 Suppl 4:1049-52. Créditos da imagem http://www.uctv.tv/palliative-care/  

Cátia Mota

Sobre Cátia Mota

Cátia Mota licenciada em Fisioterapia (CESPU- 2014). É fisioterapeuta na Clínica MAPADI e na Clínica Santa Barbara.