Cancro da mama: exercício físico para reabilitar

A prática de exercício tem sido identificada como um fator de promoção da qualidade de vida em mulheres submetidas a cirurgia por cancro da mama.

O mais comum é observar uma diminuição da atividade depois do diagnóstico de uma doença oncológica, contudo é fundamental que a doente compreenda que a diminuição de atividade agrava a sua condição física.

Após ser submetida a uma cirurgia da mama, a mulher passa a notar que o membro superior junto à mastectomia fica com menos força, com menos amplitude e com menos flexibilidade.  A qualidade de vida da mulher no dia-a-dia fica comprometida. Com o exercício é possível impulsionar um aumento de amplitude articular, o que facilita o aumento de força e consequentemente o aumento da flexibilidade do braço afetado pela cirurgia.

Por isso, as mulheres deveriam ser encorajadas a iniciar e a manter um programa de exercícios para a prevenção das doenças oncológicas por um lado e por outro após o diagnóstico de cancro da mama, quando se torna necessária a reabilitação.

Referências: ACSM (2006). ACSM´s resource manual for guidelines for exercise testing and prescription. Baltimore: Lippincott Williams & Wilkins.; Coordenação Nacional das Doenças Oncológicas, C. (2007). Plano Nacional de Prevenção e Controlo das Doenças Oncológicas 2007-2010.

Cátia Mota

Cátia Mota é fisioterapeuta, licenciada em Fisioterapia (CESPU- 2014). Colaboradora na Clínica Santa Barbara, desde setembro 2014. Atualmente é também fisioterapeuta na Clínica MAPADI. Gosta de passeios ao ar livre, essencialmente à beira mar. Acredita que os cuidados de saúde são para (...)