Yoga: benefícios e contraindicações das posturas sentadas

Share on Facebook93Share on Google+0Tweet about this on Twitter

No yoga, as posturas sentadas dividem-se em dois grandes grupos: as posturas de flexão à frente e as torções. Estas posturas têm benefícios mas também contraindicações.

As posturas de flexão à frente são benéficas, sobretudo para corrigir problemas de lordose e cifose acentuada.

Devem ser executadas fletindo à frente pela virilha e não pela zona pélvica, ou pela zona lombar. A flexão deve começar sempre nas virilhas, alargando sempre a coluna, procurando levar o abdómen em contacto com as coxas. Se o abdómen tocar as coxas então poderá colocar o peito em contacto com as coxas e por último baixar a cabeça, mantendo o estiramento da cervical.

O estiramento da coluna é fundamental, para garantir que a postura é feita com os músculos das costas e não com as vertebras, sob pena de se provocar micro fraturas.

Os seus benefícios passam por:

  • acalmar a mente, aliviar o stress e a depressão ligeira
  • estirar a coluna, os ombros e os músculos isquiotibiais
  • estimular o fígado, rins, ovários e útero
  • promover a boa digestão
  • ajudar a aliviar os sintomas da menopausa e o desconforto menstrual
  • Fortalecer os músculos da região abdominal, contribuindo para reduzir a adiposidade nessa região

As posturas de flexão à frente devem ser evitadas quando existem problemas de asma, porque a flexão pode inibir a capacidade de respirar de uma forma completa, utilizando corretamente o músculo diafragma. Também devem ser evitadas quando existe diarreia ou episódios de diarreia, devido à compressão dos músculos abdominais.

As torções sentadas são posturas de correção de assimetrias posturais e de correção de problemas de coluna. Permitem igualmente uma excelente flexibilidade da coluna. São recomendadas sobretudo nas cifoses e escolioses.

As torções permitem a estimulação dos nervos e canais nervosos que saem da coluna e se dirigem a todo o corpo. Os impulsos nervosos aumentam o que permite a revitalização e bem-estar de todo o tronco.

O mais importante é alongar a coluna, do cóccix até ao topo da cabeça, procurando sentir os ísquios colocados de igual forma no chão.

Alguns dos seus benefícios são:

  • a estimulação do fígado e rins
  • flexibilizar a coluna
  • estimular a digestão
  • aliviar dores nas costas, desconforto menstrual, fadiga e dor do nervo ciático

O cuidado com a cervical é outro ponto importante. O praticante de yoga não deve virar totalmente o pescoço, para não comprimir em demasiado as vértebras cervicais. A respiração também deve ser levada em consideração. A torção deve ser feita durante a expiração, para que a capacidade de rotação não seja inibida pela presença de ar na caixa torácica.

As posturas de flexão, rotação ou torção da coluna devem ser praticadas com cuidado se houver problema de coluna.

Procure sempre o apoio de um professor devidamente certificado para o ajudar.

Referencias: Manual Curso de Professores de Hatha Yoga Ed. Vidya-Academia de Yoga do Porto, 2010. “El libro del yoga”, Swami Visnhu Devananda, Alianza Editorial, S. A., 2001; “Yoga y Medicina”, Dr. Timothy McCall, Paidotribo; 1º edição (January 1, 2009). Créditos da imagem: http://ihanayoga.com.au/media/photos/paschimottanasana-great-western-pose-seated-forward-fold-2/

Alexandra Pereira

Sobre Alexandra Pereira

Alexandra Pereira é professora de yoga certificada pela Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda (AIPYS). Acredita que a prática de yoga pode oferecer uma melhoria da condição física, mental e psicológica do praticante.