As posturas de pé na prática do yoga

Share on Facebook52Share on Google+0Tweet about this on Twitter

As posturas de podem dividir-se em dois grupos: as posturas de pé – os dois pés assentes no chão e as posturas de equilíbrio – e apenas um pé no chão.

As primeiras alongam e tonificam os músculos das pernas, aumentam a capacidade cardiovascular e pulmonar.

Podem ser praticadas em movimento, passando de uma postura a outra (vinyasa) ou pode-se manter a postura durante um número determinado de respirações, procurando manter a mente presente na atividade física e mental, de modo a manter a execução da postura de forma correta.

As posturas de pé são fundamentais para definir o alinhamento corporal. Como as posturas de yoga são praticadas descalço, permite perceber o total e completo apoio do pé no chão e desta forma corrigir assimetrias e restabelecer a força e a flexibilidade de pés e músculos das pernas.

É muito importante ensinar o aluno de yoga a colocar corretamente os pés no chão e saber usar esse apoio para corrigir a posição da coluna, quando se encontra na posição de pé.

O deve ser apoiado sobre três pontos para conferir o correto alinhamento do corpo: tuberosidade calcânea, a base do primeiro metatarso, a base do quinto metatarso.

posturas de pé
tadasana: três pontos

Ao apoiar o pé desta maneira estamos a formar uma base de apoio, conhecida como a base triangular e que deve ser igual nos dois pés.

Muitas pessoas quando se colocam de pé, não se apercebem que podem fazer mais força de apoio com uma perna do que com outra. Em que o peso do corpo pode estar mais sobre os dedos dos pés, ou mais sobre os calcanhares.

A prática de posturas de pé, sobretudo de tadasana (postura da montanha) permite que o aluno entenda a forma como coloca o pé no chão e possa fazer a respetiva correção com a ajuda de um professor de yoga devidamente certificado para o efeito.

Um bom exemplo para analisar é o apoio dos pés no chão. Todos podem experimentar em casa.

Descalce-se e coloque os pés juntos, mantendo os dedos grandes juntos (ou os joanetes em substituição) e deixa os calcanhares ligeiramente separados. Deixe que o peso do corpo incida sobre os calcanhares. Sente imediatamente que o centro de gravidade do seu corpo muda, os glúteos ficam flácidos, o abdómen protuberante, o corpo inclina-se para trás e a zona lombar fica tensa, provocando tensão depois em toda a coluna.

O segundo grupo de posturas de pé, as posturas de equilíbrio, permite o desenvolvimento da capacidade de concentração, pois de pé, o corpo está mais sujeito ao efeito da gravidade.

As posturas de equilíbrio permitem: elevados níveis de concentração, desenvolvimento da capacidade de equilíbrio, e capacidade de acalmar a mente. Se a mente estiver agitada é difícil manter o equilíbrio e a concentração. As posturas de equilíbrio ajudam a manter a mente centrada e portanto mais relaxada, sem se identificar com o ruído mental.

Referencias: Manual Curso de Professores de Hatha Yoga Ed. Vidya-Academia de Yoga do Porto, 2010. “El libro del yoga”, Swami Visnhu Devananda, Alianza Editorial, S. A., 2001; “Yoga y Medicina”, Dr. Timothy McCall, Paidotribo; 1º edição (January 1, 2009). Fonte da imagem: https://yogaseed.wordpress.com/

Alexandra Pereira

Sobre Alexandra Pereira

Alexandra Pereira é professora de yoga certificada pela Asociación Internacional de Profesores de Yoga Sananda (AIPYS). Acredita que a prática de yoga pode oferecer uma melhoria da condição física, mental e psicológica do praticante.