Exercício durante a gravidez: o efeito na actividade cerebral do recém-nascido

Share on Facebook212Share on Google+0Tweet about this on Twitter0

Muitos médicos sugerem repouso durante a gravidez, outros sugerem pequenas caminhadas, após a refeição para facilitar a digestão, o sistema circulatório e evitar a excessiva acumulação de peso.

Um estudo recente feito pelo Departamento de Neurociências da Universidade de Montreal, demonstra que as vantagens do exercício vão para além disso e que apenas 20 minutos de exercício moderado três vezes por semana, será o suficiente para dar ao seu bebé um bom começo no desenvolvimento cerebral.

Era já unânime a ideia de que um estilo de vida activo é benéfico para a cognição em crianças, adultos e idosos. Estudos recentes tinham já demostrado em modelos animais de ratos que, as crias de mães que se exercitam durante a gravidez, tinham melhor desempenho neurogénico, melhor memória e facilidade de aprendizagem. O presente estudo teve como objectivo verificar em humanos se, um estilo de vida activo teria algum impacto no cérebro do recém-nascido.

Participaram no estudo 60 mulheres grávidas, às quais foi pedido para o grupo experimental, a prática de um mínimo: 20 minutos de exercício durante toda a gravidez, três vezes por semana, numa intensidade mínima que lhes permitisse atingir 55% da capacidade máxima aeróbica. O grupo de controlo não praticaria qualquer actividade.

A actividade cerebral foi medida 10 dias após o nascimento das crianças, através de electroencefalografia (EEG), bem como a memória auditiva e capacidade para discriminar sons.

A reacção cognitiva aos sons medida pelos investigadores, designada por memória sensorial auditiva, é característica do desenvolvimento cerebral inicial, que desaparece gradualmente com o aumento da idade no recém-nascido e torna-se mais eficiente no tratamento de informação.

Tendo em conta que todos os recém-nascidos nasceram saudáveis, os investigadores encontraram em crianças nascidas de mães que praticaram exercício, períodos de latência mais curtos, indicando um processo duas vezes mais eficiente na memória auditiva, comparativamente com as mães sedentárias.

Referências: Parnpiansil P, Jutapukdikul N, Kotchaphakdi N: Influence of maternal exercise on BDNF mRNA expression in hippocampus of exercised rats pup including learning and memory. J Neurochem 2003, 87:75–75. LeMoyne E.L., Curnier D., St-Jacques S. and Ellemberg D.. The effects of exercise during pregnancy on the newborn’s brain: study protocol for a randomized controlled trial. Trials 2012, 13:68. Julianne Chiaet. Exercising While Pregnant Gives Newborns a Real Head Start. Scientific American. Disponivel em: http://www.scientificamerican.com/gallery/exercising-while-pregnant-gives-newborns-a-real-head-start/. Fonte da imagem: http://energiaysalud.org/los-mejores-ejercicios-para-embarazadas/

Marisa Figueiredo

Sobre Marisa Figueiredo

Marisa Figueiredo é nutricionista e mestre em Nutrição Clínica, pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz. É doutoranda na Faculdade de Medicina de Lisboa no curso de Doenças Metabólicas e de Comportamento Alimentar. Dedica o seu trabalho à nutrição clínica, no adulto e na criança, com particular interesse pela alimentação e saúde infantil. A prevenção começa in útero.