Programar refeições: a ajuda pode fazer a diferença!

Uma alimebigstock-nurse-helps-elderly-woman-at-b-25297304ntação saudável e adequada pode melhorar o bem-estar do doente oncológico. Contudo, decidir o que comer, fazer as compras e preparar os alimentos requer um grande dispêndio de tempo e energia, o que pode ser um entrave para uma nutrição adequada. Planear as compras e as refeições permite uma redução do esforço, facilitando uma alimentação correta, direcionada para um adequado estado nutricional, determinante para a qualidade de vida, para a tolerância aos tratamentos e prognóstico.

Os doentes devem partilhar com a equipa de saúde, que os acompanha, as questões que dificultam a ingestão alimentar, resultantes do cancro ou dos seus tratamentos. Assim, podem ser  encaminhados para uma consulta de nutrição, onde é realizada uma avaliação e uma intervenção, cuidadas e orientadas para alcançar ou manter um estado nutricional adequado.

Fazer as compras e preparar e confecionar as refeições são etapas exigentes, sobretudo nos dias em que o doente se sente mais debilitado. Para minimizar o esforço e o tempo despendido nas compras, é aconselhável fazer uma lista de produtos a adquirir, evitando-se o retorno ao supermercado para aquisição de alimentos esquecidos. Nessa lista, devem constar os alimentos que surgem mais frequentemente nas orientações dadas. É importante ter esses alimentos sempre “à-mão”, de modo a preparar uma refeição simples, rápida e adequada. Outros alimentos a incluir, devem ser os preferidos pelo doente de modo a permitir fazer um lanche rápido, sem necessidade de preparação, por exemplo iogurtes gregos, misturas de frutas desidratadas e frutos secos.

Além disso, a lista de compras deve conter uma variedade de outros alimentos saudáveis que sejam do agrado do doente. No entanto, não é conveniente que adquira uma grande quantidade dos mesmos, já que, ao longo dos tratamentos, as preferências alimentares podem mudar.

A lista de compras deve ir sendo construída conforme os alimentos vão acabando, assim evita o esquecimento para acrescentar algum à listagem. Também é uma ajuda que, as refeições sejam programadas com alguns dias de antecedência. Isto permite verificar os ingredientes em falta.

As deslocações ao supermercado podem ser bastante cansativas para um doente debilitado pela doença em si ou como consequência dos tratamentos.

Na construção da lista, os alimentos devem ser agrupados consoante o seu tipo. Por exemplo, se são laticínios ou congelados, e de acordo com a disposição na loja habitual, permitindo que se siga apenas um trajeto durante as compras. Poupa-se tempo e energia.

Outra forma para minimizar o esforço, será o doente pedir a um amigo ou familiar que o acompanhe nas compras, ajudando-o não só na deslocação mas a carregar os sacos. Essa ajuda pode, também, passar pela preparação de uma refeição e que essa, seja feita em conjunto. Muitas vezes, as pessoas querem ajudar mas não sabem como.

Durante as compras, é aconselhável que o doente opte por um carrinho, em vez de um cesto, e que opte por alturas menos concorridas do dia, para evitar ficar de pé durante muito tempo nas filas do supermercado. Caso o doente se sinta muito cansado, deverá fazer uma pausa e sentar-se até se sentir melhor.

Existem alternativas para as habituais deslocações aos supermercados. As compras online e as lojas de pronto a comer, muitas vezes, encarregam-se de levar as refeições a casa. Essas alternativas podem ser mais dispendiosas mas a relação custo-benefício pode compensar a diferença de preço. Uma outra opção será preparar uma série de refeições saudáveis, nos dias em que o doente se sentir com mais energia, para que as possa congelar e consumir em dias em que se sinta mais debilitado.

[fonte] American Cancer Society. Nutrition for the person with cancer during treatment: a guide for patientes and families. 2014
Fonte de imagens: http://www.seniorcarestress.com/seniorcareontario/caregiver-tips-richmond-hill-ontario-easy-crockpot-cooking-for-the-elderly/; http://www.seniorcarestress.com/seniorcareontario/caregiver-tips-richmond-hill-ontario-easy-crockpot-cooking-for-the-elderly/ [/fonte]

Dina Raquel João

Dina Raquel João, nutricionista, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº0204N, mestre em  nutrição  clínica  pela  Universidade  do  Porto  e  doutoranda  da  Faculdade  de  Medicina  da Universidade de Lisboa. Iniciou a sua atividade profissional em 2001 e, atualmente, a (...)