Proteger-se em casa

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter

Alguns tratamentos oncológicos implicam internamento por um determinado período de tempo, quer se deva ao procedimento em si (cirurgias, tratamentos de quimioterapia prolongados), à distância do hospital relativamente à residência ou à necessidade de uma vigilância mais apertada do doente e dos efeitos secundários dos tratamentos. Neste caso terá sempre uma equipa a fazer tudo o que for possível para o manter hidratado, com uma dieta adequada, proteger do frio e das infecções. E quando tem alta? Como se proteger durante o período que está em casa?

Os tratamentos oncológicos podem alterar várias funções do nosso organismo, entre elas a função imunitária. É comum, no final dos tratamentos ou durante o intervalo de tempo que medeia os ciclos dos tratamentos, haver um deficit de glóbulos brancos, em especial de neutrófilos (neutropenia). Os neutrófilos são as primeiras células a atuar no processo de defesa do nosso organismo. Caso não existam ou sejam num número inadequado, qualquer microorganismo, por mais simples que seja, pode ser preocupante. Por forma a se proteger, algumas das suas tarefas e rotinas diárias podem ser ajustadas, como mencionarei de seguida.

Integridade da pele

A pele é o maior órgão do corpo humano, sendo a primeira barreira na protecção contra microorganismos. Qualquer lesão na pele coloca em risco esta função. Desta forma deve manter a pele limpa (banho diário usando produtos não agressivos para a sua pele, secando-se sem fazer movimentos bruscos ou muita fricção) e hidratada (bebendo água, aplicando creme hidratante). Evite usar escovas de dentes com filamentos duros, bem como não exercer muita pressão na escova. As lâminas de barbear aumentam o risco de cortes na pele dê, por isso, preferência às máquinas de barbear eléctricas.

Atividades diárias

É do senso comum que zonas de multidões são locais onde mais facilmente se transmitem infecções. O simples ato de tossir, um reflexo altamente importante quando nos engasgamos, é também um transmissor de microorganismos, como é o caso do vírus da gripe. Assim, a principal recomendação será evitar locais húmidos e mal ventilados, todos os locais públicos, bem como locais com muita gente. Peça e explique aos seus familiares e amigos que não o devem visitar de tiveram febre ou com tosse. Tendo em conta as atuais condições climatéricas, use roupa e calçado adequados, sem esquecer as mãos e a cabeça. Use luvas para as tarefas de rotina, seja lavar a loiça, limpar o pó, trocar fraldas ou fazer jardinagem. Contudo, principalmente lembre-se disto: as mãos são a principal fonte de transmissão de microorganismos! Lave-as frequentemente!

Alimentação e fármacos

Provavelmente terá ouvido ou lido notícias sobre a vacinação para a gripe e a sua importância. Apesar de os doentes oncológicos serem um grupo alvo por terem uma função imunitária mais debilitada, não faça nenhuma vacinação sem antes abordar o assunto com o seu médico oncologista! Poderá ter de esperar mais alguns dias ou, em último caso, ter mesmo de adiar! Relativamente à alimentação, a recomendação básica é a mesma de sempre: uma alimentação adequada e equilibrada! Contudo, deve evitar alimentos mal cozinhados e deve lavar bem todos os legumes e frutas! No Stop Cancer Portugal existem já vários artigos relacionados com alimentos com benefícios para a imunidade, por isso dedique alguns momentos a explorar o site e descubra como pequenas adições à sua dieta podem-lhe trazer vantagens.

Miguel Oliveira

Sobre Miguel Oliveira

Miguel Oliveira é licenciado em Enfermagem pela Escola Superior de Enfermagem de Calouste Gulbenkian – Universidade do Minho (2007). Pós-Graduado em Neuropsicologia de Intervenção pelo CRIAP/Associação Portuguesa de Neuropsicologia (2010). Atualmente exerce a profissão no Reino Unido.