Causas de abandono do aleitamento materno – parte 3

MamilosNa continuação dos dois textos anteriores (ver parte 1 ou ver parte 2), encerramos o capítulo «Causas de abandono do aleitamento materno» com mais algumas estratégias para melhorar a produção de leite.

Vejamos alguns pormenores sobre mamilos planos e invertidos.

O mamilo fica mais saliente nas últimas semanas de gravidez e/ou logo após o parto, pelo que não é necessário fazer qualquer manobra ou usar qualquer método durante a gravidez. Para além deste aspecto, a mãe pode tentar rodar o mamilo entre os dedos de modo a ficar mais saliente.

É importante que a mãe coloque o bebé ao peito logo após o nascimento, durante a primeira hora, evite o uso de tetinas e de chupetas, para evitar que o bebé tenha maior dificuldade em pegar.

mamiloSe a mama está muito cheia o mamilo fica menos saliente. É favorável retirar uma porção de leite antes de colocar o bebé ao peito. Pode ainda tentar espremer um pouco de leite para a boca do bebé, normalmente após provar o leite ele fica mais motivado para mamar. Pode ainda recorrer ao uso de bomba ou seringa para tentar que o mamilo fique mais saliente.

Uma das preocupações frequentes da mãe é que o seu leite seja insuficiente. Todas as mulheres possuem um número semelhante de células produtoras de leite, independentemente do tamanho das mamas.

Assim nos casos de pouco leite e choro do bebé, convém saber quais as razões e como contornar a situação.
Se o bebé chora mais do que o habitual, se quer sugar mais frequentemente, se demora muito a mamar ou adormece a mamar poderá ser consequência da mãe tentar amamentar a criança em horário rígido, deixar a criança esperar muito tempo para mamar, trocar de mama quando o bebé não esvaziou totalmente a primeira (a criança não ingere quantidade suficiente da gordura que está no final da mamada e fica insatisfeito).

Neste caso a mãe deve ter o cuidado de:

  1. A mãe deve amamentar sempre que o bebé tenha fome (em horário livre)
  2. O bebé deve esvaziar uma mama até ao fim (até que ele pare espontaneamente), só depois a mãe deve oferecer a outra; na mamada seguinte deve alternar
  3. Acordar o bebé e não o deixar muito agasalhado, dado que isso favorece o adormecimento.

Para aumentar a produção de leite a mãe pode:

  1. Amamentar com mais frequência durante alguns dias e também durante a noite (a libertação de prolactina é superior durante a noite)
  2. Retirar o leite, sempre que não esteja com o bebé.

Se a criança aumenta de peso corretamente, está decerto a alimentar-se em quantidade suficiente.

Referências: Leonor Levy e Helena Bértolo. Manual do aleitamento materno. Comité Português para a UNICEF/Comissão Nacional. Iniciativa Hospitais Amigos dos Bebés. Edição Revista de 2008, Lisboa.

Marisa Figueiredo, nutricionista licenciada em Ciências da Nutrição e mestre em Nutrição Clínica, pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz, iniciou atividade clínica em 2004. É doutoranda na Faculdade de Medicina de Lisboa no curso de Doenças Metabólicas e de Comportamento Alimentar. Desenvolve atividade docente desde 2007 e colabora frequentemente em ações de divulgação na promoção da saúde e prevenção das doenças crónicas. Dedica o seu trabalho à nutrição clínica, no adulto e na criança, com particular interesse pela alimentação e saúde infantil. Acredita que o seu trabalho deve assentar essencialmente na mudança de atitudes face a comportamentos que possam pôr em risco a saúde. A estratégia adoptada passa por fazer chegar a mensagem aos pais e seus educandos. A prevenção começa in útero. Colaboradora do Stop Cancer Portugal desde Janeiro de 2013. Por indicação do autor, os seus textos não obedecem ao novo acordo ortográfico.     Marisa Figueiredo is a nutritionist, graduated in Nutritional Sciences and has a Master degree in Clinical Nutrition of the Institute of Health Sciences Egas Moniz. Started her clinical activity in 2004. She is a PhD student in Metabolic Diseases and Feeding Behavior at the School of Medicine of Lisbon. Develops teaching activity since 2007 and collaborates frequently in actions and workshops for promoting health and preventing chronic diseases. His work is dedicated to clinical nutrition in adults and children, with particular interest in child´s health and nutrition. She believes that her work should be based on attitudes and behaviours’ changing and prevention begins in utero. Collaborates in Stop Cancer Portugal since January 2013.