Na Crista da Onda

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter

Como se prepara um surfista para competições de nível mundial?

Há algum tempo atrás, contactei um surf camp, o Rapture Camps que é bastante procurado para treino durante todo o ano, e procurei saber como treina um surfista que ambicione competir ao mais alto nível.

Josh Sward, australiano, responsável do surf camp situado em Bali,  descreveu assim o dia de treino: “o dia começa por volta das 6 horas com o pequeno-almoço, normalmente constituído por cereais, torradas, fruta, leite e café. O primeiro treino de surf prolonga-se até às 9 horas. Nessa altura há um intervalo para o lanche da manhã com fruta e tostas mistas. Voltam às ondas cerca das 11 horas para o segundo treino até à hora do almoço, que acontece pelas 13h30. O almoço pode ser sanduiches de frango ou peixe, sempre com salada de alface, tomate ou outros legumes, acompanhadas por milkshakes  (batido de leite com frutas). Depois é altura para fazer uma pausa e descansar. Às 16 horas fazem um lanche à base de pão e chocolate e iniciam o terceiro treino do dia – voltam a surfar ou aproveitam para ir ao ginásio. A hora do jantar está marcada para as 19h30 onde invariavelmente se come frango ou peixe acompanhado de vegetais e arroz. Ao longo do dia ingerem pelo menos 1 litro de água. A hora de dormir chega pelas 21 horas.”

Melhorar o desempenho em cima da onda

Não há muita informação sobre como otimizar o desempenho fisiológico neste tipo de desporto. Um estudo refere que na prática do surf são exigidas qualidades físicas como: velocidade, força e agilidade para realizar manobras; resistência aeróbia para remar; força para entrar na onda. Para isso, devem ser considerados os aspetos relacionados com o metabolismo energético. Como o tempo de duração dos treinos é de 2 a 3 horas, verifica-se um predomínio do metabolismo aeróbio, mas em alguns momentos específicos que requerem força e velocidade, é ao metabolismo anaeróbio que o organismo recorre. Em relação à nutrição, estes atletas realizam entre 4 a 6 refeições diárias e não seguem uma orientação específica sobre qual a alimentação mais adequada para prática do surf.

temperatura média da água do mar oscila muito de acordo com a zona do planeta e a estação do ano. Nesta altura do ano, a temperatura média da água ronda os 29o C no Bali, em Portugal atinge cerca de 18oC. A altura das ondas também é um fator muito variável. Portanto, um surfista deve ser capaz de competir em circunstâncias climatéricas muito variáveis e para isso deve procurar estar na melhor forma física.

Uma boa alimentação rica em proteínas (carne magra, peixe, ovos e leite), em vitaminas e sais minerais (fruta e vegetais) com hidratos de carbono (massa, arroz, pão e leguminosas – feijão, ervilhas e grão) é o princípio básico de uma alimentação correta e adaptada à prática do desporto. As necessidades energéticas variam de acordo com a constituição física de cada um e o tipo de desporto que se pratica. É, por isso, recomendável um grande cuidado com a alimentação e se necessário o apoio de um especialista em nutrição.

Referências: Nutrição no Desporto Luis Horta (1996) Ed.Caminho; NETO, José Murillo da Serra Costa, et al. Aspectos do treinamento desportivo de surfistas catarinenses profissionais. Lecturas: Educación física y deportes, 2006, 100: 36.
Imagem: Maggie Sward

O texto «Na Crista da Onda» foi publicado pela primeira vez no Stop Cancer Portugal em Junho de 2010: http://stopcancerportugal.com/2010/06/16/na-crista-da-onda/

Margarida Vieira

Sobre Margarida Vieira

Margarida Vieira é nutricionista e doutorada em Estudos da Criança na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Os seus interesses de investigação estão centrados na promoção e comunicação para a saúde e na prevenção do cancro. Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal - adotar um estilo de vida saudável.